por Isabela Mena

Mãos, pernas, peitos e bundas que se pegam, esfregam e lambem. Tudo isso no projeto fotográfico de Lud Lower

O corpo da mulher que clica ao mesmo tempo em que interage com quem está do outro lado da câmera — sempre outra mulher — mostra um jogo sexual. Se é só jogo de cena, cabe à interpretação do expectador. O projeto fotográfico de Lud Lower, 25, My Girl Toys, é, segundo a autora, um convite à imaginação. “Não tem a ver dizer se tiramos toda a roupa ou se rolou alguma coisa depois do ensaio. Fica no ar e as pessoas imaginam o que quiserem”.

Em português explícito: mãos, pernas, peitos e bundas que se pegam, esfregam e lambem. Elas não estão totalmente nuas, mas de lingerie, já que é no Instagram que as fotos e os GIFs são publicados. Fotógrafa profissional, Lud quer, mais para frente, publicar o MGT em livro, assim como fará com o My Boy Toys, versão precursora, em que contracena com homens. Lançado em março deste ano, tem quase 7 mil seguidores no Instagram.

Ambos os projetos miram mulheres porque o objetivo é quebrar tabus sobre a sexualidade feminina. “Nós, mulheres, somos vistas como santas, a sociedade pensa que a gente não faz sexo casual, que não gosta de pegação. Mas é mentira, e a gente pensa tanto em sexo quanto os homens. O mercado é todo voltado para o prazer masculino”. Suprir a demanda do desejo das minas se torna um outro subjetivo, intrínseco.

LEIA TAMBÉM: Mayara Rios gosta do nu feminino. Para fotografar ou ser fotografada

A palavra expectador no começo do texto é genérica mas só porque Lud sabe que homens se interessam em ver duas ou mais mulheres juntas (há fotos à la threesome). No esqueleto do My Girl Toys havia uma dúvida genuína: abrimos o conceito para aumentar a penetração no Insta? O plural da questão envolveu amigas e, principalmente, suas parceiras na empreitada, as meninas do grupo de dançarinas Twerk Brazil, criado por Beatriz Povreslo, a Dj Brisa. Elas então decidiram focar apenas em mulheres e de todas as orientações sexuais.

Como nasce em conjunto com o Twerk Brazil, o My Girl Toys vai ser lançado ao mesmo tempo em ambas as plataformas e na primeira sessão de fotos Lud interage com Brisa e duas dançarinas do Twerk, Je Trindade e Brilhante Adne. Segundo a fotógrafa, o ensaio foi tranquilo. “Conversamos, bebemos, colocamos uma música e fomos deixando rolar. As meninas são super criativas, também davam ideias. E não são nem um pouco tímidas”, conta.

LEIA TAMBÉM: Projeto fotográfico exalta a beleza da mulher negra

Tímida ficou Lud nos três primeiros ensaios do My Boy Toys até porque a relação que tinha com os meninos era de amizade (e se virou algo mais do que isso, já ficou claro, ela deixa para você imaginar). Ela diz que teve a ideia de fazer os projetos quando ainda era casada (Lud casou aos 19 anos) mas o marido não permitia que ela pusesse em prática. “Foi a primeira coisa que fiz depois que me separei”.  E se você se apaixonar um por um cara que tenha ciúme dos projetos? “Ele vai ter que confiar em mim. Não vou parar por causa de homem”. 

matérias relacionadas