por Nathalia Zaccaro

Mariana Ximenes é clicada por Autumn Sonnichsen para apoiar projeto que dá suporte a mulheres empreendedoras da periferia carioca

A francesa Lisa Debatty enxerga as cidades como um espaço feminino e explora essa ideia em seu projeto Oui Simone. Desde 2016, ela retrata capitais do mundo por meio de suas mulheres. “Por trás de toda grande cidade, existe uma centena de histórias femininas inspiradoras”, conta Lisa. Quando se mudou para o Rio de Janeiro, a francesa enxergou a potência e a beleza da capital carioca na atriz Mariana Ximenes (que é paulistana). “Foi uma oportunidade de me juntar a outra mulher apaixonada pelo Rio, a fotógrafa Autumn Sonnichsen, em um ensaio cheio de poesia”, conta Mariana.

LEIA TAMBÉM: Autumn Sonnichsen, a mais surpreendente fotógrafa de nu feminino no Brasil 

As duas acordaram às 4 da manhã e foram para o Arpoador. “O mar estava gigante e as ondas, explodindo nas pedras. A atmosfera era perfeita e deixamos a intuição nos guiar”, lembra a atriz. As fotos, autografadas e com tiragem limitada, estão à venda no site do Oui Simone, com renda revertida para a Asplande, organização que dá suporte a mulheres empreendedoras da periferia carioca.

Mariana contou pra Tpm detalhes de sua participação no projeto.

Tpm. Como e quando ficou sabendo do Oui Simone?
Mariana Ximenes. Conheci a Lisa [Debatty, criadora do projeto] assim que ela chegou no Rio. Isso foi lá em 2015. Ficamos amigas no meio da quadra da Portela — noite que terminou debaixo do Viaduto de Madureira no Baile Charme. Pronto! Selamos nossa amizade e a sessão de fotos com outra mulher apaixonada pela vida e pelo Rio: Autumn Sonnichsen.

Por que decidiu se envolver com o projeto? Gosto de me envolver com projetos que estejam ligados a causas que acredito. No caso do Oui Simone, foi uma oportunidade de realizar um ensaio fotográfico com um time de mulheres que admiro para falar do Rio de um jeito particular e com poesia. Aliado a isso, também tinha a vontade de nos unirmos para ajudar alguma ONG que cuidasse de mulheres. Foi aí que tivemos a chance de conhecer o trabalho lindo da Asplande, que se ocupa de instrumentalizar mulheres empreendedoras de favelas e periferias da região metropolitana do Rio. Aí veio a ideia de vender as fotos do ensaio e reverter a renda para esta organização.

Como foi concepção do ensaio? Quisemos simbolizar a força e a leveza da mulher. As locações foram escolhidas tendo isso em mente. Fotografamos na praia ao amanhecer, nos encontramos às 4 da manhã e seguimos para o Arpoador. Tinha chovido muito na noite anterior, o mar estava gigante, ondas explodiam nas pedras e ainda estava nublado. Atmosfera perfeita! Tínhamos uma ideia na cabeça, mas também deixamos a intuição nos guiar. Depois seguimos para a praia, eu e Autumn, numa sintonia fina. Entramos no mar, na areia, aproveitamos o vento... Rolou! Depois, fomos até um apartamento, a Lisa trouxe elementos como folhas, flores, tecidos, pinturas e seguimos improvisando. Em seguida, fomos ao ateliê de um amigo, o artista plástico Franklyn Cassaro, que tem uma obra chamada Abrigo mar azul — onde pudemos “entrar” em outro tipo de mar, subjetivo, lúdico, cênico.

Créditos

Imagem principal: Autumn Sonnichsen

matérias relacionadas