por Isabel Marcondes

Mutum, primeiro longa de Sandra Kogut, é baseado em obra de Guimarães Rosa

Mutum, primeiro longa de Sandra Kogut, é baseado em obra de Guimarães Rosa e chega para acalmar os ânimos e propor outros olhares sobre o Brasil

Tropa de Elite gerou uma polêmica que não era vista desde Cidade de Deus. Antes mesmo de chegar aos cinemas – pelo fato de ter vazado na internet muito antes de sua estréia e de ter sido pirateado –, o filme já era tema de debates. Agora que a poeira começa a baixar, a estréia de Mutum surge para acalmar os ânimos e propor outros olhares sobre o Brasil.

Em seu primeiro longa, a videomaker carioca Sandra Kogut resgata a obra de Guimarães Rosa numa adaptação do romance Manuelzão e Miguilim, novela de Corpo de Baile que ganhou volume próprio em 1964. E embora pareça antagônico uma diretora jovem e urbana dirigindo a obra de um autor regionalista dos anos 50 o resultado deu supercerto.

Mutum é uma palavra pesada, sonora, enigmática. E, quando lida de trás para frente, permanece intacta. Em se tratando de Guimarães Rosa, bem poderia ser um neologismo. Mas Mutum é uma cidade no sertão de Minas Gerais (que existe, de fato), onde se desenvolve a história de Thiago, um garoto de 10 anos, a versão cinematográfica de Miguilim.

Thiago é um menino introspectivo e muito ligado ao irmão, Felipe, à mãe, ao tio e aos animais. Com seu pai, contudo, há um certo desajuste. A relação entre o sertanejo endurecido e a criança sensível é difícil e conflituosa. Quando seu irmão morre, Thiago começa a voltar-se cada vez mais para dentro de si.

O filme trata de questões existenciais e metafísicas. A partir da percepção dos acontecimentos segundo Thiago, nota-se, pouco a pouco, seu amadurecimento. Nesse aspecto, Sandra Kogut soube preservar o olhar infantil que dá o tom peculiar da obra. A cena em que o garoto míope coloca óculos pela primeira vez é uma metáfora singela, porém profunda, da descoberta do mundo.

Mutum foi exibido na Quinzena dos Realizadores em Cannes e foi vencedor do grande prêmio do Festival do Rio. A estréia nos circuitos está prevista para 15 de novembro.

matérias relacionadas