por Jolúzia Batista

’Me causa espanto e indignação que ainda hoje no Brasil mulheres sejam impedidas de estudar e que ainda sejam submetidas a casamentos arranjados’

Minha luta é por igualdade e justiça para todas as mulheres! Me causa espanto e indignação que ainda hoje no Brasil mulheres sejam impedidas de estudar e que ainda sejam submetidas a casamentos arranjados, em localidades remotas e distantes dos centros urbanos. Que sejam mortas por conta do machismo e do amor romântico, do sentimento de posse; ou que morram por consequência do aborto clandestino.

Me causa indignação que forças conservadoras estejam pautando o sexismo e a invisibilidade de gênero na educação brasileira. Me espanta que mesmo sendo metade da população, não estejamos proporcionalmente representadas no Congresso Nacional, e nas Câmaras de Vereadores dos mais de cinco mil municípios brasileiros.

Minha luta em conjunto com as minhas companheiras da Articulação de Mulheres Brasileiras-AMB, é enfrentar tudo isso, e fazer com que nós mulheres sejamos donas de nosso destino, que tenhamos igualdade de direitos, que sejamos donas de nossas vidas.

*Jolúzia Batista, socióloga e colaboradora do Centro Feminista de Estudos e Assessoria (CFEMEA)

Veja outras lutas em nosso especial #mulheresquelutam

matérias relacionadas