por Luiza Sahd

Os aviões estão preparados para nós, mas nós estamos preparados para eles? 

1. O terror começa antes do embarque. Sentir dor de barriga no aeroporto é o melhor cenário possível, já que dor de barriga é uma regra, e a opção B é bem pior: um piriri *durante o voo*.

2. Pra começo de conversa, se avião fosse coisa boa, ninguém ficaria lá na frente ensinando sobre despressurização e assentos flutuantes.

3. Além de energia eólica e solar, o tremor do seu corpo e o suor das mãos em viagens poderiam ser convertidas em excelentes fontes alternativas de energia, capazes de abastecer centenas de cidades. 

4. Sentar na saída de emergência é ter em si todos os sentimentos do mundo. A felicidade em poder esticar as pernas concorre com a obrigação de fazer uma cara neutra enquanto recebe as instruções para casos de emergência, mesmo sabendo em seu íntimo que, em caso de emergência, você só pularia dali rapidinho gritando "jerônimo" e desejando boa sorte a quem fica.

5. Como os passageiros normais escutam o aviso sobre a trava de portas: "As portas foram fechadas". Como você escuta o aviso sobre a trava de portas: "AGORA NÃO DÁ MAIS PARA FUGIR, NEM ADIANTA CHORAR".

6. Criança chutando o assento de uma pessoa normal: "ai, que saco". Criança chutando o seu assento: "O QUE FOI ISSO? SERÁ UM PRINCÍPIO DE TURBULÊNCIA?"

LEIA TAMBÉM: 11 pesadelos cotidianos de quem vive perdendo tudo

7. Avião que decola manobrando de ladinho, com as asas a 90 graus do solo, despertam a vontade de dar aquela checada: "amigos, corrijam-me se eu estiver errado, mas embarcamos em um voo comercial e não em alguma apresentação da Esquadrilha da Fumaça, correto?"

8. Você repassa mentalmente o mantra sobre como aviões são seguros por horas. Daí, a pessoa do assento ao lado faz o bendito sinal da cruz e você lembra que esse meio de transporte pesado e voador não faz sentido nenhum, não adianta negar. 

9. Por causa do medo, você já é uma espécie de expert em aeronáutica. Conhece o barulho dos trens de pouso, fica de olho no teste dos reversos (freios), sabe que o piloto iniciou a descida antes mesmo do anúncio e até torce pra não estar calor na data do voo, porque isso pode deixar o avião mais "trêmulo", assim como sua pobre carne.

10.  Como um espião infiltrado, você espreita cada troca de olhares entre os comissários para ter certeza se está tudo OK mesmo. Nem jogadores profissionais de poker são páreo para você quando o assunto é leitura facial.

11. Na sua opinião, os comissários de bordo são seres iluminados ou talvez masoquistas. Nunca te ocorre que eles sejam apenas sensatos ou gente que confia na ciência, por exemplo.

12. Quando o avião passa a "arrebentação" das nuvens, você sente que metade da missão foi cumprida e fica ansiosa pela comida, único consolo possível nessa palhaçada toda. Companhias aéreas que não oferecem lanchinho mereceriam ser lacradas pela Associação dos Passageiros Paniquentos Ltda.

13. Esquecer os fones de ouvido é a pior cagada que o passageiro medroso pode cometer, porque eles te protegem de basicamente tudo o que é inconveniente no avião: o temível apito de atar cintos, passageiros que curtem piadinhas mórbidas e, em especial, seu pior rival em voos: aquela pessoa que tem mais medo do que você e faz questão de falar sobre isso.

LEIA TAMBÉM: 20 sinais de que você chegou ao topo da maturidade

14. O barulho apavorante da descarga em aviões te faz achar que a privada causou uma pane, mas é apenas um dos inúmeros traumas desnecessários que passamos enquanto os cientistas não agilizam o teletransporte.

15. Voo que arremete: hmmmm, que delícia! Tudo o que eu queria hoje era uma decolagem e um pouso extra, além da desconfiança de que o piloto pode ser barbeiro ou que a torre errou ou ME TIRA DAQUI, EU IMPLORO.

16. Quantos minutos duram um minuto dentro de uma aeronave? 

17. A luz da cabine apaga para o pouso e você só tem uma certeza: "é agora que Deus me leva".

18.  Se você tem paúra de voar, é um felizardo. Ninguém vai sentir felicidade mais pura e sincera quanto a que você sente toda vez que sai de um avião.

Créditos

Imagem principal: Wikipedia / Commons

matérias relacionadas