por Luiza Sahd

O importante é criar métodos como, por exemplo, guardar os documentos sempre na mesma pastinha*

*Procura a pastinha
*Não acha a pastinha 
*Compra outra pastinha
*Vai guardar a nova pastinha e encontra a anterior 

1. Em caso de desorganização extrema, o primeiro passo para uma vida melhor é a aceitação. Depois de atravessar as dolorosas fases de negação ("Não é possível que o cartão tenha sumido de novo"), raiva ("De jeito nenhum que vou pegar fila para sacar dinheiro pessoalmente)", barganha ("São Longuinho, se não for pedir demais...)" e depressão ("sumiu, parece que sumiu meeeesmo)", você telefona para o banco já cogitando marcar uma cervejinha com o pessoal do atendimento, afinal, vocês se falam muito. Sempre. Todo mês.

2. Às vezes, com o olhar perdido, você sonha com o dia em que haverá a paz mundial e o fim do uso de senhas como dispositivo de segurança para qualquer coisa. Quem pode estar feliz em um planeta onde tudo tem senha e três tentativas erradas bloqueiam seu acesso a serviços básicos? Por que essa ideia de tatuar senhas sempre passa pela sua cabeça? E por fim: onde está escrito que pessoas esquecidas têm menos direitos civis do que pessoas normais?

3. Filmes futuristas sempre reascendem sua esperança de, em breve, abrir a porta com leitura de retina, digitais ou qualquer coisa que não sejam: chaves. Nada no mundo é mais medieval do que esse lance de precisar de um objeto de ferro, pequeno e sem rastreador para abrir a porta da sua própria casa!

4. Ah, o celular. Esse sim tem rastreador, mas, infelizmente, foi desligado todas as 4.757.588 vezes em que você perdeu o seu. Passo seguinte: post da humilhação no Facebook dizendo que está novamente sem celular, pedindo que falem contigo por ali mesmo, evitando dar mais detalhes.

5. Poucas coisas na sua vida são mais desafiadoras do que trocar de bolsa para sair. Entre mil objetos inúteis e papéis perdidos, selecionar os itens que realmente devem passar para a nova bolsa exige força, foco e fé. O fim da história é sempre mais ou menos o mesmo: quatro batons e -- olha só! -- nenhum dinheiro, porque a grana ficou na bolsa anterior.

6. Quando viaja, você deixa mais souvenirs por onde passa do que compra lembranças para trazer de volta.

7. Você claramente mereceria um Prêmio Nobel de Maior Quantidade de Vias do RG, se existisse um. Lamentável que a sociedade atual seja tão retrógrada a ponto de ninguém ter reconhecido este tipo de talento. Ainda.

8. O pavor que toma conta do seu corpo quando alguém te pede para guardar algo é indescritível.

9. Fumar mata, mas ter cigarros por perto e não achar um isqueiro deve aumentar em 580% as chances de infarto. Considerando-se que isso acontece com você todos os dias em um ano, suas chances estão 211.700% maiores. Considerando-se que você fuma há 5 anos... Etc.

10. Tomar remédios na hora certa: não 
Achar o remédio certo na gaveta certa: não 
Comprar os mesmos remédios quatro vezes porque eles "somem" e, assim, construir um pequeno império farmacêutico em casa: sim 

11. Poucos sabem do prazer inenarrável que é escolher um livro, ler com muito interesse e, chegando ao desfecho, lembrar que já foi lido. Quantas vezes você já assistiu o mesmo filme "pela primeira vez"? Impossível dizer. Só sentir.

matérias relacionadas