por: Buscofem

Tudo o que você precisa saber sobre coronavírus

apresentado por Buscofem

A médica Paloma Libanio, do Hospital das Clinicas de Marília, responde às dúvidas mais comuns sobre a doença

Até o momento, não há nenhuma vacina nem substância conhecida que nos imunize. Muitos estudos estão sendo realizados ao redor do mundo, mas todos estão em fases de testes, sem nenhuma comprovação científica ou aprovação.

Todos os pacientes com sintomas graves devem procurar atendimento nos serviços de saúde, onde terão o tratamento indicado pelo médico. Se não houver indicação de internação, o paciente pode ser orientado a fazer o tratamento em casa, mas este não deve ser realizado sem prescrição médica, principalmente quando inclui o uso de antibióticos. A automedicação é perigosa e pode trazer sérios riscos à saúde. 

Não existem remédios específicos contra o novo coronavírus, nem mesmo receitas caseiras. O tratamento é baseado no quadro clínico. É indicado repouso e consumo de bastante água, além de algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas como, por exemplo, uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos), uso de umidificador no quarto ou banho quente para auxiliar no alívio da dor de garganta e tosse.

É muito importante saber o momento correto para procurar atendimento nos serviços de saúde, uma vez que idas desnecessárias às unidades de saúde, além de causarem superlotação, aumentam muito o risco de contaminação. Pacientes com sintomas leves, como coriza e febre baixa, devem permanecer em alerta em casa. Se os sintomas evoluírem para febre que não cessa com uso de antitérmico e tosse, o paciente deve procurar atendimento. Os casos graves que incluem dificuldade respiratória serão atendidos nos hospitais. 

A vacina contra a gripe disponível hoje não previne contra o coronavírus, mas imuniza contra outros vírus causadores de gripes que estão circulando. É possível que os pacientes se infectem com vírus diferentes ao mesmo tempo, o que pode levar a quadros respiratórios graves. Além disso, a vacinação da população mais vulnerável facilita no diagnóstico rápido e preciso do novo coronavírus, uma vez que os sintomas são semelhantes e a imunização contra a gripe poderá descartar outros diagnósticos.  

De acordo com o Conselho Federal de Medicina, ainda não existem estudos clínicos de boa qualidade que comprovem sua eficácia em pacientes com Covid-19, apesar de haver justificativas para a utilização desse medicamento, como ação comprovadamente antiinflamatórias e contra outros agentes infecciosos. Na última semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) suspendeu os testes com hidroxicloroquina para o tratamento contra o coronavírus. A decisão foi tomada depois que a revista The Lancet publicou um estudo sobre os riscos do remédio. Desta forma, sua utilização é recomendada a critério médico e com decisão compartilhada com o paciente, deixando claro que não existe até o momento nenhum trabalho que comprove o benefício do uso da droga para Covid-19, explicando os efeitos colaterais possíveis e obtendo o consentimento livre e esclarecido do paciente ou dos familiares. 

 

Apenas a utilização de máscaras não garante total proteção contra o novo coronavírus. É preciso redobrar os cuidados com a etiqueta respiratória e higienização das mãos; evitar aglomerações; manter distância segura de outras pessoas; evitar tocar o rosto. E o mais importante: se puder, fique em casa. Esta é a maior proteção contra a disseminação do vírus. 

As medidas de distanciamento social são extremamente importantes para diminuirmos a velocidade de propagação do novo coronavírus. Mesmo sem sintomas, devemos sair de casa apenas para atividades essenciais, como trabalhar e ir ao supermercado, e tomando todos os cuidados necessários, tais como utilizar máscara simples, aumentar a frequência da lavagem das mãos, utilizar álcool em gel e manter distância de 2 metros de outras pessoas.

Na atualidade, as fake news são um grande problema! Procure sempre se informar em sites confiáveis de instituições e órgãos sérios, como o Ministério da Saúde e Secretarias de Estado da Saúde. 

Créditos

Buscofem® (ibuprofeno) é indicado para o alívio das cólicas e outras dores menstruais. LIQUI-GELS® é marca registrada da Catalent Brasil LTDA*. Contraindicações: alergia ou intolerância aos componentes da fórmula, asma, pólipo nasal, inchaço ou urticária provocada por medicamentos, úlcera gastrintestinal, doenças graves do coração, fígado ou rins, desidratação, últimos 3 meses de gravidez e em gestantes sem orientação médica e crianças menores de 12 anos. MS - 1.0367.0159 - SAC 0800 701 66 33. (Maio/2020). Página para maiores de 18 anos. NÃO USE ESTE MEDICAMENTO EM CASO DE ÚLCERA, GASTRITE, DOENÇA DOS RINS OU SE VOCÊ JÁ TEVE REAÇÃO ALÉRGICA A ANTI-INFLAMATÓRIOS. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO

fechar

Entre em contato
com a trip


fale conosco

PABX +55 (11) 2244-8747
Caixa Postal: 11485-5
CEP: 05414-012
São Paulo - SP

atendimento ao assinante

SP (11) 3512-9465
BH (31) 4063-8433
RJ (21) 4063-8482
das 09h às 18h
assinaturas@trip.com.br
 CENTRAL DO ASSINANTE 

ou se você preferir:

e-mail inválido!
mensagem enviada!
fechar

Assine


E leve ousadia, moda, irreverência,
comportamento, inspiração.
Tudo isso com coerência, profundidade
e um olhar que só a Trip tem.

trip

Desconto de 25%

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Conceito

assinar

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Trip Girl

assinar

trip

Grátis um super relógio

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Conceito

assinar

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Trip Girl

assinar
fechar