por Nathalia Zaccaro

A marca de acessórios Pakera Pakera não tem medo de ser cafona e já conquistou nomes como Pabllo Vittar com seu glamour kitsch

Lívia Torres trabalha correndo o fashion district de Nova York em busca de fornecedores de moda, comprando materiais, negociando e fazendo contatos. Foi em uma dessas correrias, em 2015, que ela cruzou com dezenas de pedras coloridas brilhantes e decidiu levar tudo para casa. Desde 2009, a estilista paulista vive nos Estados Unidos, onde é diretora de produção de marcas como Eletric Feathers e Totokaelo.

"Comecei a fazer uns brincos para mim. Eu estava meio de coração partido, foi uma forma de preencher esse vazio e estimular meu lado criativo, que andava meio parado”, conta. Ela decidiu se entregar à vibe novela mexicana que estava rondando sua vida e não teve medo de ser cafona em suas criações.

“Em Nova York, me senti extremamente latina, como nunca tinha me sentido antes. Morava em um bairro porto-riquenho, gostava de sair para dançar salsa, curtir esse lado meio romance-com-sofrimento, essa coisa intensa. Achei que poderia ser divertido mergulhar nisso”, conta.

LEIA TAMBÉM: Artesãs resgatam a natureza feminina em delicados acessórios de macramê inspirados na vulva

Os brincos, colares e as pulseiras dramáticas que ela incorporou nos próprios looks fizeram sucesso e Lívia decidiu criar uma lojinha on-line para vender suas criações. Batizou a marca de Pakera Pakera e criou uma conta no Instagram para divulgar os acessórios.

“Eu nunca tinha fotografado nada, mas peguei uma câmera e escolhi locações bem cafonas, lugares meio over, cheios de coisas. Achei que tinha tudo a ver com a estética da marca. É muito sem pretensão, mas é autêntico. Acho que por isso as pessoas se identificaram”, conta.

A estética kitsch das peças e dos editorais caseiros de Lívia chamou atenção de Pabllo Vittar, Anelis Assumpção, Lei Di Dai e Vanessa Rozan, que já desfilam por aí com seus pakeras.

Aproveitando o sucesso da marca, Lívia decidiu passar uma temporada no Brasil, depois de quase dez anos vivendo nos Estados Unidos. As peças estão sendo vendidas pelo e-commerce da marca.

A boa onda da Pakera Pakera inspirou Lívia a tocar novos projetos por aqui. Ao lado de Helena Pimenta, que foi sua sócia na Amonstro, marca de roupas que existiu entre 2003 e 2009 e fez barulho na época, ela deve lançar até o fim do mês uma coleção de acessórios para pets pela ONG Orientavida, que capacita mulheres do presídio de Tremembé (SP). “Vai ser o começo da volta da Amonstro”, conta, revelando seus planos para o futuro.

Créditos

Imagem principal: Lívia Torres

matérias relacionadas