por Karina Mota
Tpm #111

Nossa editora convidada lista alguns lugares que a fizeram se apaixonar por São Paulo


A empresária Karina Mota saiu do interior de São Paulo direto para Paris e, na volta, descobriu a capital paulista e fez seu guia particular

"Alô, Karina, como está aí?", "Quando você volta?", "Você pensa em morar no Brasil de novo algum dia?". Essas foram perguntas que ouvi durante sete anos (de 1999 a 2006), período que morei em Paris e construí minha carreira, minha vida adulta. Nunca soube responder quando queria voltar, e achava quase indelicado as pessoas me perguntarem isso.

Queria novidade, me sentia cidadã do mundo, viajava muito, trabalhava mais. Não tinha tempo para me questionar. Aos poucos, o sentimento de forasteira se apropriou de mim. Aproveitei cada lugar. Tinha certeza de que não pertenceria a uma só cidade até resolver abrir a Surface to Air em São Paulo, em 2006. Não conhecia nada aqui e achei que em dois, três anos me cansaria e voltaria a viajar.

Estava enganada. Há seis anos virei paulistana e é difícil me tirar daqui. Duas semanas de férias são uma eternidade fora de casa. Da imagem da capital gigante e assustadora que as pessoas me passavam, enxerguei milhões de vontades e um lugar próspero. Cada dia conheço um modo novo de vida, um bairro diferente, parques lindos, pessoas adoráveis. Ainda gosto de Paris, mas São Paulo me surpreende. Acho paz no que chamam de caos.

Gente diferenciada
Abri uma loja e um restaurante (Lorena 1989) nos Jardins, além de uma boate em Pinheiros (o Bar Secreto). Moro na Vila Buarque. Quem mora aqui chama de Higienópolis, porque fica do lado, mas o certo é Vila. Vejo meu bairro como uma vilinha cheia de mercearias e lojas antigas, onde as pessoas andam a pé. Diante de tantas possibilidades, fiz uma agenda para fugir do circuito tradicional da cidade. Lugares inusitados, simples e escondidos, do tipo que quando as pessoas frequentam guardam segredo. Essa é a São Paulo que escolhi viver.

Algumas dicas de Karina estão na galeria abaixo. As outras estão na lista, também abaixo.

UGUES RESTAURANTE
O melhor arroz e feijão da cidade. O bife à milanesa e os sanduíches no pão francês são uma delícia. É bem simples e a entrada parece uma porta de garagem. Lota no almoço e nos fins de semana.
Vai lá: r. Marquês de Itu, 1.039, Vila Buarque, (11) 3661-3197

RESTAURANTE ANDRADE
Comida típica nordestina e deliciosa. Um dos meus paraísos escondidos em São Paulo. Tem show de forró tradicional com bandas selecionadas, e até aula de dança. Levo todos os músicos que vêm tocar no Bar e é sucesso certo. O Erlend Øye, do Whitest Boy Alive, já foi umas três vezes comigo e adorou a música. Levei os meninos do Justice quando tocaram no Secreto. Os meninos do LCD Soundsystem também foram jantar lá na última vez que fizeram show aqui. Recomendo o baião de dois. Nos fins de semana, serve até as duas da manhã.
Vai lá: Artur de Azevedo, 874, Pinheiros, (11) 3085-0589, www.restauranteandrade.com.br

CASA GODINHO
Empório lindo e bem antigo. A melhor empada da cidade para comer de colher no balcão. Sou da turma que acha que o centro deveria ser valorizado e restaurado, porque tem prédios lindíssimos. Lugar para se sentir paulistana.
Vai lá: r. Líbero Badaró, 340, (11) 3104-1520, centro, www.casagodinho.com.br

matérias relacionadas