Tpm

por Bruna Bopp
Tpm #120

A apresentadora aprendeu que o melhor caminho para aliar vaidade e bem estar é não se levar a sério

A primeira vez que a apresentadora Titi Müller se viu em alta definição foi traumatizante. Cismou que tinha duas veias enormes na testa e passou a fazer as sobrancelhas todos os dias. Mas, depois da “fase neurótica”, se acostumou – e também decidiu que jamais teria uma televisão HD. “Você vê coisas que seu olho nunca viu! Sabe aquele espelho com lente de aumento? HD é isso. Começa a saltar tudo que é defeito”, brinca. Por mais que se considere vaidosa, diz que isso nunca atrapalhou sua rotina. “Prefiro aparecer com olheiras no vídeo a perder a festa do dia anterior. A diversão sempre vale a pena”, solta. Aos 25 anos e à frente de dois programas, o Acesso MTV e o MTV sem vergonha, a gaúcha sabe que, para se sentir bem, o jeito é não se levar tão a sério.

Desde que estreou na TV, se tornou mais vaidosa? O que mais mudou é que eu passei a me preocupar com a pele. Aos 20 anos, não ligava muito, porque nem precisava. Mas agora, ainda mais morando em São Paulo [se mudou de Porto Alegre em 2008], não vivo sem protetor solar. Brinco que envelheço que nem cachorro, um ano vale por sete [risos].

Já fez alguma loucura de beleza? Olha, teve uma época em que eu coloquei como meta de vida não ter mais celulite. Fui malhar, fiz todos esses Manthus, Celutec, Velashape da vida. Mas era só tomar uma caipirinha que voltava tudo. Agora desencanei. Hoje para mim é OK ter celulite. Tanto que parei de usar os cremes. Pensei: por que vou prejudicar meu ano inteiro comendo menos doce e gastando dinheiro pela minha bunda, que é uma parte tão pequena do meu corpo?

matérias relacionadas