O que você precisa saber antes de querer sair do Brasil

por Nina Lemos

Eu entendo que você queira fugir e não quero te desanimar, mas saiba que não vai ter emprego na sua área, a não ser que você seja programador ou o Paulo Coelho

Essa semana quase virei meme. Isso porque, depois de quase dois anos e meio morando em Berlim, perguntei no Facebook se eu era louca por pensar em voltar ao Brasil ano que vem. "Avisa que isso é a maior cagada", disseram. Eu ri e pensei que uma das razões para pensar em voltar é o humor do brasileiro. Fora que os memes do Brasil são muito melhores (desculpe, Argentina). Internet como a nossa: não tem. Capacidade de rir de si mesmo: não tem. Pelo menos nisso a gente é foda.

ASSISTA: Conversamos com Liniker sobre estereótipos, magia, rótulos e gêneros

Mas eu entendo todos vocês que querem sair. Estive aí em setembro e senti o ar denso, o clima horrível, os passantes berrando ódio em casa esquina. Então, entendo quem quer vir e dou força. Não quero te desanimar. Venha! Só vou falar algumas verdades (não acredito que virei esse tipo de pessoa que "fala verdades!") para que você não quebre a cara. Sim, eu já sabia disso tudo, mas mesmo assim tenho minhas (muitas) crises. Então, se você quer sair saiba que... 

*Atenção: esse texto é para quem quer vir por razões existenciais e de desgosto com o Brasil. Não para quem quer tentar ter uma vida melhor financeiramente. São situações muito diferentes. 

- Profissionalmente vai ser uó
A não se que você seja programador de internet ou alguma dessas coisas BEM nerds, você vai ter uma dificuldade IMENSA de arrumar um trabalho ok. E o que é trabalho bom? Algum trabalho (hahaha!). Agora, falando sério, trabalhar na sua área vai ser quase impossível (a não ser que você seja programador etc.). E não é porque as pessoas têm preconceito, não só. Além de você não falar a língua perfeitamente (existem sim empregos na Alemanha onde só precisa de inglês) você não conhece ninguém. Ponto. As pessoas não sabem se você é confiável ou psicopata. Se você fez 10 mil palestras, publicou 30 livros e acha que isso vai comover um coração europeu, uma verdade: ninguém vai dar a mínima! A não ser que você seja o Caetano ou Paulo Coelho. E você não é. Ah, mas e se eu registrar o meu diploma e.... esqueça! Pode ser que dê certo no Canadá. Mas em Berlim, Paris, Londres, Nova York não rola (sei porque tenho amigos nesses lugares). Se você tem 20 anos, pode ser que role de começar toda uma vida nova. Com mais que isso, profissionalmente pode ser ok, mas você não vai trabalhar exatamente na sua área. Isso pode não ser uma tragédia, pode nem ser um problema.  Mas pode ser que doa. Cada um sabe o seu limite (eu ainda estou procurando descobrir o meu, aviso quando encontrar).  

LEIA TAMBÉM: Todos os textos de Nina Lemos

- Você vai ser a escória
Nunca vivi nenhum caso de preconceito pesado na Alemanha, mas acho que é porque eu sou branca. Mesmo assim, claro, você vai ter os piores serviços e os piores atendimentos sempre. Sabe o que é o Ausländerbüro? Eu te conto. É o departamento de imigração de Berlim e aquilo parece um campo de concentração (e a gente nem pode fazer essa comparação porque comparar qualquer coisa aqui com o nazismo pega muito mal, o que, ok, entendo). Mas nenhum serviço para alemães é como o do Ausländerbüro. Nenhum. O prédio é cinza, fica em um lugar inóspito e para ir lá você tem que marcar tipo com 4 meses de antecedência. Se você precisa ir antes, vai sem. Mas isso significa que você vai ter que acordar às 4h da manhã, chegar lá 5h, esperar duas horas numa fila na rua (faça chuva, neve ou sol) e só vai sair de lá pelas 16h. Na última vez que estive lá, uma menina desmaiou na fila e chamaram os paramédicos (não estou brincando). Ah, fora que se uma tragédia política acontecer, tipo a americana, você vai ser o primeiro a se ferrar. Mas você não está pensando em mudar para os EUA, né? UFA! 

- Sim, as pessoas são frias 
Ok, você não precisa ser como eu e mudar logo para Alemanha, que tem a pior língua e as pessoas mais diferentes dos brasileiros. Mas, o que eu posso falar, é sobre o que conheço. E aqui as pessoas se cumprimentam com aperto de mão. Se você dá beijo em alguém que não é muito íntimo a pessoa pode quase desmaiar, e como disse um amigo ontem: é difícil encontrar quem gargalhe. Não estou falando que eles são piores que a gente (não são. Eles, por exemplo, não aceitariam esse pesadelo que acontece no Brasil NUNCA, já estariam na rua quebrando tudo), mas são muito diferentes. Isso pode ser legal, mas também vai ser desesperador em alguns momentos. Meu conselho nessas horas é correr para a internet brasileira que, como disse antes, tem o melhor humor e os melhores memes para fazer gargalhar! 

PS. Sim, tem muitos lados bons e qualquer dia desses eu falo sobre eles. Isso quando o tempo melhorar. Estamos há dois meses sem sol aqui na Sibéria... ops, Berlim. Você imagina como é viver assim? Sim, pois esse é outro dos problemas.

Créditos

Imagem principal: Reprodução

fechar

Entre em contato
com a trip


fale conosco

PABX +55 (11) 2244-8747
Caixa Postal: 11485-5
CEP: 05414-012
São Paulo - SP

atendimento ao assinante

SP (11) 3512-9465
BH (31) 4063-8433
RJ (21) 4063-8482
das 09h às 18h
assinaturas@trip.com.br
 CENTRAL DO ASSINANTE 

ou se você preferir:

e-mail inválido!
mensagem enviada!
fechar

Assine


E leve ousadia, moda, irreverência,
comportamento, inspiração.
Tudo isso com coerência, profundidade
e um olhar que só a Trip tem.

trip

Desconto de 25%

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Conceito

assinar

11 edições
R$ 98,18
6 x R$ 16,36

Capa Trip Girl

assinar

trip

Grátis um super relógio

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Conceito

assinar

22 edições
R$ 261,80
6 x R$ 43,63

Capa Trip Girl

assinar
fechar