por Delaíde Miranda Arantes

’Defendo a causa das mulheres ainda acobertadas pela invisibilidade, as mulheres vítimas de violência, da exploração sexual e de trabalho infantil’

A minha principal luta é pela conquista da igualdade da mulher, que embora assegurada em tratados internacionais, como na Convenção nº 100, da Organização Internacional do Trabalho [a OIT] e na Constituição Federal de 1988, ainda não está plenamente concretizada. Dssim como a igualdade de direitos para as trabalhadoras domésticas.  

Ostento com empenho a bandeira da conscientização da mulher quanto aos seus direitos e à sua capacidade de conquistar o mundo: na esfera profissional, política e pessoal. Defendo a causa das mulheres ainda acobertadas pela invisibilidade, as mulheres vítimas de violência, da exploração sexual e de trabalho infantil, vítimas do machismo, da pobreza, da injustiça e da desigualdade social.

Na condição de mulher, que com a graça de Deus supera todos os dias as barreiras do preconceito e da discriminação, que ainda existe nas mais variadas formas, acalento o grande sonho que é de todas nós: o da construção de uma sociedade mais igual, justa e solidária.  

*Delaíde Miranda Arantes, ministra do Tribunal Superior do Trabalho

Veja outras lutas em nosso especial #mulheresquelutam

matérias relacionadas