A psicodelia a serviço da saúde mental

Em busca de tratamentos mais eficientes para transtornos mentais, Schenberg, 39 anos, decidiu estudar os efeitos de drogas psicoativas, como a ayahuasca e o MDMA, no cérebro humano. “A depressão é hoje a maior causa de ausência no trabalho no Brasil, com um impacto econômico e social gigantesco. Ela, o transtorno do estresse pós-traumático e a dependência química são três das doenças que têm bastante potencial de tratamento pela psicoterapia assistida por psicodélicos”, explica.

Mestre em psicobiologia e doutor em neurociências, ele percebeu o avanço das pesquisas com psicodélicos no exterior e criou, em 2011, o instituto Plantando Consciência, voltado à pesquisas com essa abordagem no Brasil. “Os psicodélicos são muito mal falados, mas, quando empregados terapeuticamente, fornecem resultados mais eficazes do que os tratamentos psiquiátricos atuais.”

Para o paulistano, a repressão, em vez de diminuir, aumenta o perigo dessas substâncias. “A proibição impacta também na saúde mental de quem não usa drogas, porque todo mundo anda por aí com medo e a indústria da segurança está levando o Brasil para uma escalada armamentista”, acrescenta.

Patrocínio

Copatrocínio

Apoio