Egnalda Côrtes e a representatividade no YouTube

A empresária, que trabalha para impulsionar a carreira de youtubers negros, dá dicas de quem não podemos deixar de assistir na rede

por Carol Ito em

Tpm / Negritude / Internet / Beleza / Comportamento / Racismo

Há dois anos, Pedro Henrique Côrtes pediu a ajuda de sua mãe para gerir os conteúdos do seu canal para gerir os conteúdos do seu canal no YouTube, o PhCôrtes, que trata do protagonismo negro na história. Egnalda Côrtes, de 44 anos, decidiu então montar uma empresa para impulsionar a carreira de youtubers negros, militando e agindo por mais protagonismo nas próximas páginas de nossos livros de história.

Assim, em 2016, ela passou a pesquisar mais sobre negritude e mercado digital e decidiu abrir a Côrtes Assessoria e Agenciamento, que hoje atende 22 clientes. O trabalho começou a dar retorno rapidamente e, no mesmo ano, ela foi uma das 15 mentoras de aceleração de negócios de canais da Google. E sua atuação se espalha em diferentes frentes; neste ano, fará parte do time de curadores da Social Media Week, além de realizar workshops para youtubers. “Ser pioneira tem seus prós e contras. O ineditismo me coloca num lugar de visionária e, ao mesmo tempo, sou incompreendida e já fui até chamada de louca”, conta Egnalda.

Egnalda Côrtes criou um negócio para impulsionar youtubers negros incentivada por um pedido de seu filho, o PhCôrtes - Crédito: Taty Leite/divulgação

LEIA TAMBÉM: A marca do Pantera Negra

O trabalho da empresária parte da importância de amplificar o trabalho de criadores negros. “Minha intenção é promover o diálogo e a conexão com uma população que cada vez mais se reconhece negra”, ressalta. Apesar da necessidade de um diálogo plural, Egnalda lembra que ainda gera incômodo essa ocupação de espaços. “A sociedade brasileira se acostumou a eleger apenas um ou dois [para ter destaque]. É esse modelo social que precisamos reconstruir”, explica.

A Tpm pediu e a Egnalda fez uma lista com dicas de alguns dos youtubers negros com quem trabalha. Para seguir e se inspirar.

Nátaly Neri, do canal Afros e Afins - Crédito: Divulgação

Afros e afins - Nátaly Neri (338 k)

Feminista e apaixonada pelo slow fashion, ela dá dicas de como garimpar peças em brechós, faz tutoriais de maquiagem, cabelo e estética negra, mas sem jamais deixar de discutir o papel da mulher contemporânea.

Gabi Oliveira, do canal De Pretas - Crédito: Divulgação

De Pretas - Gabi Oliveira (232k)

Ela é formada em comunicação social e seus vídeos abordam a estética da mulher negra e as relações raciais. Bem-humorado, o conteúdo produzido por ela tem conseguido atingir e inspirar outras pessoas na luta contra o racismo. 

Murilo Araújo, do canal Muro Pequeno - Crédito: Divulgação

Muro Pequeno - Murilo Araújo (91 k)

O youtuber aborda assuntos ligados ao universo LGBT. A partir dessa abordagem, ele fala de vários, como a vida universitária, as questões raciais e a religiosidade. Há ainda espaço para momentos mais pessoais, em que costuma falar sobre seus sonhos, dúvidas e inspirações cotidianas.

Youtuber Luci Gonçalves - Crédito: Divulgação

Luci Gonçalves (124 k)

Dicas de beleza, amores não românticos, bissexualidade, aceitação do próprio corpo estão entre os temas que você encontra no canal Luci. Em seus vídeos, ela adota frequentemente a hashtag #bondedaluci, que usa para remeter ao que ela chama de "um estilo de vida da favela".

Youtuber Tati Sacramento - Crédito: Divulgação

Tati Sacramento (173k)

A youtuber é formada em jornalismo e tem boas dicas para aumentar a autoestima, tendo como foco a prática de exercícios físicos e uma alimentação saudável como um meio para ter, simultaneamente, beleza e bem estar. Os vídeos que produz compartilham seu próprio estilo de vida, com a intenção de motivar mais pessoas a terem mente e corpo em equilíbrio.

LEIA TAMBÉM: O fotógrafo baiano Thiago Borba retrata a beleza negra em seu projeto Black is Beautiful

Youtuber PhCôrtes - Crédito: Divulgação

PhCôrtes (18 k)

Pedro Henrique, o filho de Egnalda, é conhecido como PH e usa seus vídeos para destacar heróis negros brasileiros presentes na história e nas artes, refletindo sobre a importância do protagonismo e da representatividade.

Samuel Santos, do canal Samocreia - Crédito: Divulgação

Samocreia (3,9 k)

Em seu canal, voltado para o humor, Samuel Santos fala de situações triviais vividas por ele, de uma visita à padaria ao ataque de um cachorro raivoso. O youtuber define sua linguagem como “entretenimento (des)construtivo”.

Youtuber Jacy Juli - Crédito: Divulgação

Jacy July (89 k)

A garota fala de diversidade e das muitas formas de beleza, da importâncoa da autoaceitação. Nos vídeos, um tema recorrente é a variedade de penteados. “Eu abordo a liberdade capilar, a moda consciente, a autoestima e a beleza negra”, assim ela descreve o que busca em seu canal.

Mari Ribeiro, do Canal de Mudança - Crédito: Divulgação

Canal De mudança (31 k)

Mari Ribeiro reconhece o quanto é difícil entrar na vida adulta e ter que pagar vários boletos. Pensando nisso e nas outras pessoas que passam pela mesma angústia, ela usa seus vídeos para dar dicas de como organizar e planejar a vida com a ajuda da tecnologia.

Valtinho Rege, do canal Energia Positivia - Crédito: Divulgação

Canal Energia Positiva (2,9 k)

Valtinho Rege é cineasta e roteirista, além de ser profissional da equipe da agência Academia de Filmes. Em suas narrativas, sempre ambientadas na periferia, dá dicas de músicas, filmes e viagens, além de discutir questões ligadas à homossexualidade e ao racismo.

Biel Braga, do canal Um Bipolar - Crédito: Divulgação

Um bipolar (1,2 mi)

O bom humor marca o trabalho de Biel Braga, que se dedica a criar paródias de hits de Anitta, Jojo Toddynho, Justin Bieber, Selena Gomes, entre muitos outros artistas que já ganharam versões divertidas em seu canal.

Youtuber Ramana Borba - Crédito: Divulgação

 

Ramana Borba (572 k)

Bailarina, a adolescente de 16 anos usa seu canal para ensinar coreografias de músicas pop que estão bombando atualmente.

Joely Nunes, do canal Afrontay - Crédito: Divulgação

Canal Afrontay (9 k)

Joely Nunes cria narrativas a respeito de sua vida — um jovem negro, gay e nordestino, que mora no Sudeste do Brasil. Ele discute questões raciais e LGBT, ao mesmo tempo que dá dicas de música, literatura e cinema.

Youtuber AD Junior - Crédito: Divulgação

AD Junior (11k)

AD Junior aborda questões ligadas à negritude, educação, história por meio de dicas de entretenimento, como filmes, séries e músicas.

Créditos

Imagem principal: Reprodução

Arquivado em: Tpm / Negritude / Internet / Beleza / Comportamento / Racismo