por Camila Eiroa

O crew Minas de Minas é formado por quatro grafiteiras de Belo Horizonte. Elas têm um objetivo claro: incentivar mulheres a tomarem as ruas com arte

As mulheres podem ocupar os espaços públicos com arte e o crew Minas de Minas vem para provar exatamente isso. A gangue é formada por quatro grafiteiras de Belo Horizonte e existe desde 2012, quando surgiu para incentivar as mulheres a conhecerem o grafite e outras atividades das ruas, como as batalhas de hip hop.

"Ser mulher nas ruas não é fácil, queremos expressar o que sentimos através da nossa arte e demonstrar que a união faz a força", diz Carolina Jaued — a Krol — à Tpm. Ela e as companheiras de spray Viber, Musa e Nica, querem mostrar que a arte é livre. Juntas há três anos, contam que já ouviram diversas críticas e foram descredibilizadas pelo fato de serem mulheres.

"Por sermos mulheres, tem quem se acha no direito de roubar nossos sprays"

Porém, nada desanimou o quarteto, que fez diversos painéis pela cidade mineira e ficou cara a cara com muros por até 12 horas para finalizar alguns trampos. "Por sermos mulheres, tem quem se acha no direito de roubar nossos sprays, fazer ameaças ou falar coisas desrespeitosas."

Cada uma delas tem cerca de 10 anos de grafite no currículo, e embora cada uma siga um estilo diferente na arte, as ideologias sempre foram parecidas. Elas participam de eventos, exposições, ministram oficinas e, recentemente, fizeram um "Minas de Minas convidam", em que chamaram alguns grafiteiros amigos para encher de cores um muro em BH.

"A aceitação dos grafiteiros atuantes da cena em sua maioria é bastante respeitosa. A mulher do graffiti, como a do hip hop, sempre deixa claro a que veio. Mas muitas vezes recebemos agressões verbais enquanto estamos grafitando, principalmente de transeuntes", desabafa Krol.

As Minas também incentivam as batalhas de MC's entre mulheres na cidade. Para elas, o hip hop é uma cultura de coletividade e unir as vertentes ajuda a alcançar mais espaços. "Hoje percebemos que existem grandes representantes que vivem a cultura de corpo e alma. As mulheres que ocupam essas diretrizes se tornam referência para aquelas que sentem vontade de se expressar também".

Hoje o Minas de Minas é um dos principais grupo de grafite inteiramente feminino em atividade no Brasil. Elas já foram convidadas para eventos em diversos estados, como Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. "Cada vez mais é necessário o nosso empoderamento, principalmente quando se está a frente de algum movimento", finaliza Krol.

Vai lá: facebook.com/minasdeminas // @minasdeminascrew

matérias relacionadas