Levantamento de livro: calhamaços pra te deixar tão forte quanto inteligente

Os romances mais pesados da temporada, modos de usar

por Camila von Holdefer em

Trip / Livros / Livros

Graça infinita, obra-prima do norte-americano David Foster Wallace, nasceu no Brasil pesando 1,5 quilo. A dimensão tijolística não freou o interesse dos leitores, que ainda encaram a fama de impenetrável do romance. A primeira edição de Os miseráveis publicada pela Cosac Naify pesava cerca de 2 quilos. A segunda, para a alegria de quem não é halterofilista, foi dividida em dois volumes. Thomas Pynchon também é famoso pelos calhamaços: Mason & Dixon e Contra o dia pesam quase o mesmo que o livro de Wallace. Contrariando as expectativas, seu contingente de fãs só aumenta.

O fato é: carregar um calhamaço de um lado para o outro é difícil; consequentemente, ler na praia ou no transporte público passa a ser um desafio. Nada o impede de tentar, claro, e você certamente vai atrair um bocado de atenção se estiver segurando uma edição de Ulysses (1,39 quilo) enquanto toma sol estendido na areia. Mas atenção: quando retratou o estereótipo do hipster em uma publicação estrangeira, o cartunista Liniers pôs justamente um exemplar de Graça infinita debaixo do braço do sujeito, que também usava óculos de aros grossos e meias listradas.

De qualquer forma, a pergunta é: como segurar um calhamaço com dignidade? Ler sentado ainda é a melhor pedida. Se tiver uma mesa para apoiar, melhor (o bom é que você também pode apoiar um café). Se você for mulher, bem, é praticamente impossível ler na horizontal: os peitos sempre vão atrapalhar. Experiência própria. E, claro, você não está livre de derrubar o tijolo no pé, ou, se estiver deitado, no nariz.

Mas que os calhamaços têm suas vantagens, isso têm. Ser enorme, com exceção de Graça infinita, não é sinônimo de ser difícil. É sempre bom afundar numa trama e emergir muito tempo depois. A experiência de leitura é diferente, e o mergulho parece mais profundo. Se você está com os exercícios em dia, aposte nos excelentes Os luminares (Eleanor Catton, Biblioteca Azul, 1,1 quilo), Vida e destino (Vassili Grossman, Alfaguara, 1,3 quilo) e no clássico David Copperfield (Charles Dickens, Cosac Naify, 800 gramas). 

Duas séries de 20, e aí abaixe. Repita três vezes ao dia.

* Camila von Holdefer é crítica e editora do site www.livrosabertos.com.br

Arquivado em: Trip / Livros / Livros