Tecnologia une pessoas e máquinas

Vamos falar de pessoas diante da tecnologia? Evento em Brasília reafirma que a era digital precisa de calor humano

apresentado por Banco do Brasil

Trip / Banco do Brasil / brasil / Tecnologia

Dia 22 de julho, no CCBB Brasília, aconteceu o Inspira BB. O evento, que trouxe a discussão sobre como as pessoas se relacionam com a era digital, apresentou o tema Mundo em transição – Vamos falar do humano diante da tecnologia?. O coral de funcionários do Banco do Brasil abriu a tarde ao lado do pianista Paulo Francisco Paes, esquentando o palco para que Amyr Klink falasse sobre sua experiência nos mares. Amyr lembrou de ações simples e rotineiras que contam com o auxílio da tecnologia, mas frisou na importância da aprimoração humana. “A experiência mais importante que temos na vida é possuir a nossa história, não possuir as nossas coisas. A única coisa que é para sempre é a história que a gente constrói, e, aqui, cada um faz a história desta instituição.”

O pianista Paulo Francisco Paes

Após a fala do navegador, foi a hora da youtuber Jout Jout subir ao palco com sua descontração. Com seu canal do YouTube, ela conta que a tecnologia a aproxima de seus seguidores. Por outro lado, a afasta de seu público em lugares do Brasil onde a internet não chega. “Na internet eu atinjo as pessoas, mas não converso diretamente com elas. Nunca estivemos tão conectados, mas a profundidade dessas conexões nem sempre acontece”, refletiu.

Os convidados Bernardinho e Jout Jout

O evento seguiu com a presença da ex-ginasta Laís Souza, que emocionou a todos em sua fala sobre a época do acidente que a deixou tetraplégica. “Acabei vestindo uma armadura que nem eu sabia que existia”, revelou. O clima de emoção se intensificou no palco do Inspira BB quando Guilherme Arantes subiu ao palco e entoou a canção “Amanhã”, acompanhada deliciosamente pelo público. 

Inês Saldanha e Laís Souza

Em seguida, Bernardinho ministrou a palestra Em Busca da Excelência e hipnotizou a plateia ao descrever seu trabalho à frente da seleção brasileira de vôlei. “O essencial é a minha obsessão em aprender, melhorar e evoluir. O sucesso no passado não nos garante nada no futuro. E para a gente continuar a evoluir é preciso ter novas ferramentas.” Após a fala do treinador, foi a vez de Thiago Diniz, funcionário do BB, trazer sua experiência ao público. Thiago é deficiente visual e defende que, através da tecnologia, seu trabalho se torna tão eficiente como o de qualquer outra pessoa. “Eu tenho menos de 5% de visão. Para me formar em administração, trabalhar e me locomover, uso os leitores de tela, que dão retorno através de áudio. A mensagem que eu quero trazer é de que a tecnologia pode transformar.”

Leandro KS e Thiago Diniz

Entre os funcionários do banco que subiram ao palco estavam Inês Saldanha, que traçou um trajeto de quantas mudanças tecnológicas aconteceram ao longo de sua carreira na instituição e Leandro KS, que também é músico. Ele refletiu sobre seu trabalho no BB e sua carreira como artista. “Escrevi uma música sobre este tema em um paralelo entre o homem e a tecnologia, na qual questiono o que é a evolução de verdade. Seria ela só um avanço de tecnologia ou o ser humano também tem que evoluir?” Além deles, Géssica Figueiredo revelou como os avanços tecnológicos transformaram sua vida em família, em Curitiba, onde mora e trabalha na Central de Relacionamento do BB, e Suzeli Mello, também funcionária, relembrou aqueles que se sentem tímidos perante as mudanças que a tecnologia traz. “Ao ensinar os meus clientes a usar o aplicativo do BB, me coloco no lugar deles. Vejo isso como uma ação de representatividade.”

Suzeli Mello e Géssica Figueiredo

Já em clima de despedida, o presidente do Banco do Brasil, Paulo Rogério Caffarelli, abordou a tecnologia de maneira informal e levantou o astral dos presentes. “O Inspira BB tem sido uma conversa entre o banco e seus funcionários. O que a gente quer é estimular o diálogo, somos uma empresa constituída por mais de 100 mil pessoas espalhadas por todo o país. Se não fizermos um movimento que estimule a conversa, nos tornaremos frios. Independente da tecnologia, o ser humano sempre será a conexão mais importante para o Banco do Brasil.” Para encerrar a noite em grande estilo, Guilherme Arantes voltou ao palco para um pocket show e incluiu no repertório sucessos como “Brincar de viver” e “Lindo balão azul”. Com clima de festa, fez as pessoas se dirigiram para a frente do palco para celebrar a presença do Inspira BB em Brasília.

Guilherme Arantes
Paulo Cafarelli e Cia Nós No Bambu

Créditos

Imagem principal: Tatiana Reis

Arquivado em: Trip / Banco do Brasil / brasil / Tecnologia