Helena Ignez: a antimusa do cinema nacional

Aos 76, ela foca na carreira de diretora e relembra os filmes marginais que atravessaram sua história

por Redação em

Trip TV / Filmes / Feminismo / Corpo

INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL: youtube.com/trip

Protagonista de clássicos do cinema nacional, Helena Ignez já era uma estrela antes dos 30 anos, mas passou indiferente ao título de musa e desencanou de ser uma atriz “nos moldes convencionais”.

Helena aproveitou o que aprendeu com o cinema novo de Glauber Rocha e o cinema marginal de Rogério Sganzerla, que também foram seus maridos, para alcançar brilho próprio como diretora: aos 76, lança em setembro o premiado A moça do calendário, trabalha em seu próximo filme e revela “não sofri com o envelhecimento, fazer 60 anos foi uma delícia”. 

Arquivado em: Trip TV / Filmes / Feminismo / Corpo