Negócio da China (literalmente)

Ele ficou bêbado e comprou 20 Pikachus. Ela estava entediada e decidiu comprar um blazer que rasgou
no primeiro dia. A nova loucura do consumo: comprar da China

por Nina Lemos em

Tpm / China / Comportamento

Você está bêbado, ou simplesmente entediado. Ou sentada, como sempre, olhando para uma tela de computador. Até que um monstro do mal aparece e grita no seu ouvido: “Dá uma olhadinha”. E lá está você, só olhando um site de compras on-line na China. Mas você não tem nada para fazer, está entediado e pronto, compra, paga tudo com cartão e… se ferra.

Segundo pesquisa WebShoppers da E-bit divulgada este ano, 67% dos brasileiros que compraram coisas pela internet ano passado consumiram em um site chinês.

Mas as histórias são bem melhores que as estatísticas. “Estava sem fazer nada, aí decidi comprar uma blusa e um blazer lindo. Demorou muito para chegar. E quando chegou, bem, a blusa era de um tamanho que parecia de criança. O blazer coube, mas, na primeira vez que ia sair com ele, levantei a mão e ouvi um ‘crrr’. Sim, rasgou”, diz a designer Juliana Shurmann.

“Eu comprava sempre. Parei por causa da alta do dólar. Mas já comprei vários vestidos. Só que como a numeração lá é diferente e como eram muito pequenos, tive que usar como blusa. O mais legal é que demora tanto para chegar que, quando chega, parece que você ganhou um presente, porque você já esqueceu”, diz a artista plástica e designer Eva Uviedo. O problema é a fatura do cartão. “A minha fechou exatamente no dia em que o dólar estava R$ 4,20. Você não imagina o tamanho do susto”, completa.

A compulsão pode aumentar se você tiver tomado um drink. História real protagonizada pelo jornalista Ricardo Lombardi, dono do sebo Desculpe a Poeira. “Eu cheguei em casa bêbado, entrei na Internet e comprei 20 balões do Pikachu para o aniversário do meu filho. Ele escolheu esse tema, não sabia muito como desenvolver a festa e aí comecei pelos balões.” Detalhe, o aniversário do Ernesto é em dois meses… então, pode ser que nem cheguem a tempo. Se beber, não compre. Fica a dica. Bem, e mesmo se não beber…

Arquivado em: Tpm / China / Comportamento