Iranianas dizem não para a rinoplastia

Elas tiraram o véu para assumir a beleza e identidade persa

por Ana Manfrinatto em

Tpm / Comportamento / Ativismo


Desde que a cirurgia estética é permitida no Irã, ter um nariz “como o das atrizes de Hollywood” é o sonho de muitas iranianas e um símbolo de status. Segundo a sharia, código de vestimenta islâmico, a única parte do corpo que elas podem mostrar é o rosto.  

Logo, o nariz tem que ser “perfeito”.

Tanto é que o Irã se transformou no país com a maior taxa de rinoplastia do mundo. Segundo o jornal inglês The Guardian, a cada ano mais de 200 mil pessoas têm seus narizes esculpidos pelo bisturi. Não à toa Teerã passou a ser chamada de “capital mundial da cirurgia de nariz”.

“Perfeito”... para quem?

Para se opor a este padrão de beleza e assumir a identidade persa, um coletivo feminista convidou mulheres a tirarem seus véus e compartilharem fotos de seus narizes “originais de fábrica”.

O jornal francês Le Figaro disse como foi. Maryam, uma integrante do grupo, postou uma foto de um rosto de mulher não operado e comentou: “hoje em dia ser bonita é responder a uma pressão psicológica exercida pela sociedade (...) como se a cirurgia de nariz pudesse deixar um país mais bonito”.

E completou: “enviem fotos de seus narizes naturais”.

Resultado: o post rendeu mais de mil likes para o grupo no Facebook e, desde então, não para de receber fotos de mulheres afirmando sua beleza natural.

Arquivado em: Tpm / Comportamento / Ativismo