BATIDA FEMININA

Responsável pela abertura da Casa Tpm, Ilú Obá de Min faz shows com Elza Soares neste mês e no próximo

por Carol Ito em

Tpm / Diversidade / Música / Dança / Negritude

Foi com um cortejo emocionante que as cantoras, percussionistas e dançarinas do Ilú Obá de Min abriram a Casa Tpm, pedindo “resistência, coragem e amor”.

Com mais de uma década de história, o bloco afro, composto apenas de mulheres, é um dos pontos altos do Carnaval paulistano. Para o próximo ano, preparam a apresentação Todos Movimentos Negros – Negras Vozes – Tempos de Alakan!. Fundadora do grupo e referência quando o assunto é percussão feminina, Beth Beli explica que “alakan” é uma palavra em iorubá que significa união. 

Antes disso, o grupo, que está no disco mais recente de Elza Soares (Deus é mulher), participa de show da cantora no Rio de Janeiro (28 de agosto) e em Manaus (1º de setembro). O bloco retribui convidando Elza para cantar em seu show no Coala Festival, que também terá Juçara Marçal, no dia 2 de setembro.


Vai lá: bit.ly/2v8UJvL

Créditos

Imagem principal: Pablo Saborido

Arquivado em: Tpm / Diversidade / Música / Dança / Negritude