Para mim, com carinho: Bel Coelho

Mulheres que contaram nas redes sociais seus primeiros assédios escrevem uma carta para si mesmas quando mais novas

por Bel Coelho em

Tpm / Ativismo

Bel, minha menina,

Sinto muito. Sinto muito por não estar ao seu lado e poder te abraçar. Sinto muito por não estar aí para notar em seu olhar que algo andou errado. Sinto muito por não poder olhar nos seus olhos e te dizer que a culpa nunca foi sua. Aquele homem da sorveteria é um homem doente que se esconde no conforto de uma sociedade covarde e burra.

Mas tenho boas notícias! No último mês, muitas meninas e mulheres como nós romperam seus silêncios a fim de trazer atenção a essa questão que nos impede há tantos séculos de ser uma sociedade finalmente civilizada. Não vou te enganar, ainda há muito trabalho a ser feito, mas sinto que encontramos, juntas, um caminho.

Não sei quanto tempo vai levar para chegarmos lá, mas posso te assegurar que enquanto isso não acontecer, não nos calaremos. Faremos tudo que estiver ao nosso alcance para lembrar a todos o quão triste e medíocre é uma sociedade que abriga esse traço.

Com amor

...

Bel Coelho tem 36 anos. Aso 11, ela sofreu seu #PrimeiroAssedio em uma sorveteria.

Arquivado em: Tpm / Ativismo