Bronzeado de fita, unhas com
alongamento, cabelo na régua…
A fotógrafa Dalila Coelho
registra os rituais estéticos
das periferias de Belo Horizonte
em seu primeiro fotolivro

Por: joão victor Medeiros
FOTo: Dalila coelho

BELEZA

“BH tá como? BH tá lindo!”,
ecoava o bordão de MC Rick
enquanto Dalila Coelho
percorria a capital mineira
para registrar salões
de beleza, barbearias
e casas de bronze das
periferias da cidade

Em 2019, recém-formada
e desempregada, a fotógrafa
estava no corre de freelas
quando conheceu o Bronze
da Ludy através do Instagram 

“Fiquei fascinada. Eram
as cores muito saturadas,
o azul do céu, o vermelho
das macas, os biquínis
muito coloridos”, conta

“Basta a presença do
sol para as lajes ficarem
lotadas de clientes em
um processo ritualístico,
com o único objetivo
de adquirir marcas
de bronzeado”

O olhar da fotógrafa
para o Bronze da Ludy
se transformou no ensaio
“É verão o ano inteiro",
que conta a história de três
empreendedoras que fazem
a famosa marquinha na régua

Para além das cores
e rituais, o trabalho de
Dalila faz pensar também
sobre o processo de construção
de autoestima das mulheres,
que vêem o bronze como uma
estratégia de autovalorização

Para produzir as fotos, a fotógrafa
precisou construir uma relação
de intimidade com suas retratadas:
“Deu muito certo, fiz uma amizade
para vida que é a Ludy”

Em 2020, a série recebeu
o Prêmio Décio Noviello
– uma das principais
premiações do circuito
nacional de fotografia –,
que culminou na realização
da primeira exposição
solo da fotógrafa

“É verão o ano inteiro”
integra "BELEZA", o primeiro
fotolivro de Dalila Coelho.
Também faz parte da publicação
outra série, desta vez com
foco nos trabalhadores de
barbearias e manicures do
baixo-centro de Belo Horizonte

Foto: Bernardo Silva/Divulgação

Batizado de “Rituais
estéticos da periferia”,
o trabalho foi desenvolvido
sob orientação de Joaquim
Paiva, um dos principais
colecionadores e pesquisadores
de fotografia do país

O que chamou atenção
de Dalila neste projeto
foi a possibilidade
de investigar a rotina
de quem realiza trabalhos
manuais e artesanais
dedicados a cuidar da
autoestima de outra pessoa

“É interessante ver como
nestes espaços os homens
se sentem à vontade para
cuidar da própria aparência
e se expressarem através
de cortes, cores e penteados
no cabelo”, diz a fotógrafa

Umas das protagonistas desse
universo é a unha com alongamento,
que exibe o trabalho minucioso
das manicures e são símbolo
de ostentação entre as mulheres

“É um interesse pelo
ofício e por olhar
essas profissões de
estética como arte”

Conteúdo que transforma