Vale do Magnésio

Como um grupo de amigos está mudando o perfil da Vila Mariana, em São Paulo

por Cirilo Dias em

Trip / Tecnologia / Tecnologia

Quem já teve a oportunidade de dar uma bela volta a pé pelo bairro da Vila Mariana, na cidade de São Paulo, se surpreende ao encontrar ruas com casinhas bucólicas de portão baixo, muros grafitados escondidos atrás de pés de amora e pitanga e lojinhas e barzinhos bacanas de fazer inveja a qualquer bairro hipster mundo afora.

Em poucas pernadas você também encontra a Faculdade de Belas Artes, ESPM e Miami Ad School, três instituições de ensino que desovam anualmente pessoas talentosas com capacidade de ocupar as cadeiras mais privilegiadas das agências de publicididade de São Paulo. Mas ao invés de trabalharem no bucólico e criativo bairro, os recém-formandos acabam indo pensar "fora da caixa" dentro de grandes caixas de concreto, decoradas milimetricamente para transbordar criatividade em bairros da cidade onde a felicidade da região transparece apenas às sextas-feiras, dia de "casual friday".

Mas aos poucos, este cenário começa a mudar. Sem causar nenhum alarde, pequenos espaços de co-working nascem espontaneamente por ali e começam a ser ocupadas por empresas de inovação, publicidade e hacklabs.

É na bucólica e florida Rua Profeesor Frontino Guimarães, que o movimento começa a nascer. O primeiro a dar o ar da graça por ali foi Wagner Martins. Após passar um bom tempo trabalhando em agência de publicidade, vendeu sua participação na antiga agência e escolheu o bairro como sede da sua nova empresa, a 301.yt

"O fato de eu ter saído da Espalhe não era uma insatisfação com o mercado, o jeito de fazer publicidade. Participei de toda a construção até a venda da agência (que foi comprada no ano passado pela MSL Group). Aí começou um novo ciclo de verdade e decidi testar e aplicar as ideias que eu sempre achei legal. O engraçado é que não saí com o objetivo de vir pra cá."

Após visitarem e compararem diversos tipos e espaços de co-working, foi Rodolfo Mieskalo, sócio de Wagner, quem deu a ideia de usar uma sala ociosa do Bunker 99 B,  da namorada de Rodolfo, a artista plástica Vanessa Costa, que já dividia o espaço com outro artista plástico, o uruguaio Victor Lema Riqué. "A gente começou a vir aqui e ainda não tinha entendido que aqui poderia ser um ambiente bem legal de trabalho. Em um espaço de co-working convencional você trabalha com muitas pessoas que muitas vezes não tem a ver com o que você faz. Aí você vai lá fazer braistorm, mostrar um vídeo, faz um baita barulho e atrabalha o andamento do espaço. Aqui tem um quintal grande, com árvores, dá pra vir até aqui trabalhar.", diz Wagner.

Wagner enumera uma série de vantagens de trabalhar por ali: metrô por perto, fácil acesso, ruas arborizadas, arte de rua, estúdios de vídeo e som por perto, ateliers e as três faculdades e seus respectivos alunos. E tem também algumas desvantagens, ou melhor, desafios, que é convencer os clientes habituados a ambientes corporativos a deixarem o preconceito de lado e entender o espaço e jeito de trabalhar. "Já veio o pessoal da Ambev aqui, clientes de empresas gringas. É um trabalho de convencimento, eles vem até aqui, olham o espaço e falam 'pô, eu quero trabalhar com pessoas que estão criando coisas neste ambiente'. Não digo que 100% entendeu o espírito da coisa, mas como essas pessoas lidam diariamente com cultura de start-up, acabam entendendo que esta é uma opção legal. O Google, a Apple, muitas empresas começaram assim".

A poucos metros dali, uma frondosa copa de um pé de carambola se destaca e abriga uma turma responsável por projetos inovadores e futuristas.  Assim como aconteceu com Wagner e Rodolfo, a  ideia de ocupar uma casa na rua não foi planejada, mas a soma de afinidade mais tranquilidade foi o responsável por reunir o grupo de amigos - e suas respectivas empresas - em um ambiente que estimulasse ainda mais a criatividade.

"Eu queria um laboratório para desenvolver minhas 'freaknices', meus projetos de arte independente. Aí aluguei esta casa para morar e quando cheguei no quintal tinha este pé imenso de carambola. Pronto, nasceu o Carambolab". Diz Phillipe Bertrand, criador do espaço que acabou arrastando  para a sala que dá de fundos para o quintal carambolado o amigo Bruno Tozzin. Em comum, suas passagens por agências de publicidade e suas paixões por experiências digitais tecnológicas e inovadoras.

The Machine To Be Another - Art investigation from BeAnotherLab on Vimeo.

Ali no Carambolab, estão reunidos os criadores dos premiados projetos The Machine To Be Another (uma máquina futurista que usa técnicas de neurociência para criar a ilusão cerebral de que você está no corpo de outra pessoa), criada por Phillipe Bertrand e o Ahead (um boné com microchip que funciona como acesso a baladas), criado por Bruno Tozzini. 

"Claro que quando o espaço que você trabalha é muito formal, o sistema te oprime. Eu não acho que todas as agências de publicidade são assim, conheço muitas que são do caralho. Mas quando você tem um espaço handmade, handcraft, com pessoas interessantes, é muito mais inspirador". Diz Bruno Tozzini, que acaba de voltar para uma grande agência, mas aproveita o tempo livre para trocar experiêncis e criar projetos no Carambolab.

A ideia do grupo que reunido ali é que o Carambolab passe a ter circulação de pessoas diferentes, que desenvolvam projetos legais, alguns com aplicação comercial e outros com aplicação social, artísticas e ideológicas.

Assim, aos poucos e discretamente, a região vai se transformando em um polo criativo, o "Vale do Magnésio", como define Wagner Martins que escolheu o elemento químico responsável por estimular a criatividade, como símbolo deste movimento que está ocupando a região. "É o poder do ecossistema. Você vê várias outras pessoas tomando este tipo de decisão, com seus próprios negócios e com a mesma mentalidade. Nós não temos os mesmos negócios, nem somos parceiros, mas se vierem tomar uma cerveja ou um café aqui, vamos fazer coisas juntos. Não é planejado, é algo que acontece naturalmente".

Conheça os projetos dos ocupantes do  Vale do Magnésio

Vanessa Costa: http://vanessacosta.tk

Victor Lema Riqué: www.victorlemarique.com

The Machine to Be Another: http://vimeo.com/beanotherlab

Ahead: http://ahead.herokuapp.com

301.YT: http://301.yt

Crédito: Ahead
Crédito: Cirilo Dias
Crédito: Wagner Martins
Crédito: Wagner Martins
Crédito: Wagner Martins
Crédito: Wagner Martins
Crédito: Cirilo Dias
Crédito: Cirilo Dias
Crédito: Cirilo Dias
Crédito: Cirilo Dias
Crédito: Cirilo Dias
Crédito: Cirilo Dias
Crédito: Cirilo Dias
Crédito: Divulgação
Arquivado em: Trip / Tecnologia / Tecnologia