Coragem, prêmio, reconhecimento

Dois atletas brasileiros são finalistas da principal premiação de surfe em ondas grandes

por Carlos Sarli em

Trip / Surf / Maya Gabeira / Ondas grandes / Esporte / Surf

 

A melhor temporada de surfe dos últimos anos; para alguns, a melhor de todos os tempos.
Assim acabou o inverno do El Niño no hemisfério Norte. Nas competições e no free surfe de ondas grandes, uma elite de atletas excedeu os limites, e o desfecho virá com o resultado do Billabong XXL, concurso que premia surfistas e fotógrafos/cinegrafistas pela atuação nos maiores mares nos últimos 12 meses.

O número de inscrições para o prêmio já era grande e foi ampliado dois dias antes da data-limite, quando um enorme swell encostou em Teahupoo (Taiti), elevando a mais de mil as imagens participantes.
Quatro categorias já têm finalistas definidos: "Ride of the Year", o maior prêmio (US$ 50 mil), pelo desempenho por toda a onda; "Biggest Wave" (US$ 15 mil mais um jet ski), pela descida com sucesso na maior onda; "Monster Paddle", pela maior onda na remada; e "Monster Tube", pelo maior e melhor tubo.

Há dois brasileiros entre os indicados: Danilo Couto, que no dia de Natal recebeu de "presente" uma esquerda com cerca de 23 metros em Jaws (Havaí), e Alex Martins, radicado nos EUA e local de Mavericks, onde surfou na remada, no dia 13 de fevereiro, a onda inscrita.

Várias indicações saíram desse swell de Mavs, um dia de rara perfeição no qual os melhores big riders do mundo abriram mão do jet ski e, usando apenas a propulsão humana, surfaram algumas das melhores e maiores ondas da temporada.

Entre as cinco indicações para a "Ride of the Year", quatro são de ondas surfadas na remada, o que evidencia a tendência de volta às raízes.

Também chama a atenção entre os indicados a ausência de Greg Long, vencedor das principais provas do período e de várias categorias do concurso nos últimos anos.

Três categorias (pior caldo, desempenho geral no ano e feminina) ainda não têm os finalistas definidos. Na feminina, nossas chances são boas. À tricampeã do concurso, Maya Gabeira, juntam-se Silvia Nabuco e Andrea Moller. Os vencedores serão conhecidos no dia 23.


BRASILEIRO DE SURFE
Adiado por conta da chuva no Rio, que impediu a vinda de atletas, o Brasil Surf Pro começou ontem com altas ondas, em Itamambuca, Ubatuba (SP).

MUNDIAL DE SURFE - WT
O Rip Curl Pro, segunda etapa do Tour, deve acabar hoje, em ondas pequenas em Bells (Austrália). Mineirinho está nas quartas, Jadson pode chegar, e Gabriel Medina, 16, venceu C. J. Hobgood e parou no campeão mundial Mick Fanning.

MUNDIAL DE LONGBOARD
A segunda etapa da divisão de acesso começou ontem, em Boca Barranca (Costa Rica)

Arquivado em: Trip / Surf / Maya Gabeira / Ondas grandes / Esporte / Surf