por Redação

O músico indica três filmes fora do radar para entender a transformação entre as relações humanas

Dia 13 de setembro o cantor Lenine se reuniu com a equipe da Trip para gravar o documentário do Trip Transformadores deste ano, em que é homenageado. Durante o dia, que teve como cenário Guapimirim, no Rio de Janeiro, ele indicou três filmes transformadores. "É uma temeridade alguém me pedir uma lista de alguma coisa, eu sendo volátil desse jeito", brinca.

O músico pernambucano tem se dedicado às questões ambientais e teve como maior inspiração para a composição de Carbono, disco lançado em 2015, a crise hídrica. Dono de uma musicalidade única, Lenine faz questão de expressar sua preocupação com a natureza em sua arte e, em 2014, desenvolveu  com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) o projeto Encontros Socioambientais com Lenine, que impactou 24 mil pessoas.

O enigma de Kaspar Hauser

“É um filme profundo, que me fala muito sobre as relações sociais. É de Werner Herzog.”

 

Imensidão azul

“Sou apaixonado por esse filme de Luc Besson. Assim como Atlantis, que é fundamental.”

 

Dersu Uzala

“É outro filme que corrobora tudo isso. É a história de um índio velho e sua relação com o fogo, de Akira Kurosawa.”

 

E mais: “Todas as obras de Stanley Kubrick, o mais felino e mais profundo olhar que foi lançado sobre o século 20.”

 

Lenine é homenageado do Trip Transformadores deste ano. Saiba mais aqui: //bit.ly/lenine-transformadores

matérias relacionadas