Projeto Respire atende usuários de drogas em crise nas festas de música eletrônica

Projeto Respire trabalha em festas de música eletrônica atendendo usuários de drogas em crise. É redução de danos com um toque especial de amizade

Fundada em 1998, a ONG É de Lei trabalha com redução de danos aos usuários de drogas em São Paulo. Ali nasceu o projeto Respire, que levou para festas a filosofia estabelecida na Cracolândia. O diferencial é a proximidade do grupo com os frequentadores, já que conversando, explicando e fornecendo apoio individual agem como verdadeiros amigos dos usuários.

"Queremos estimular a reflexão em relação às drogas e discutir formas de diminuir a vulnerabilidades dos usuários", explica Maria Angélica Comis, coordenadora do projeto. "Essa relação ética de flexibilidade e aceitação é o que faz nosso trabalho funcionar.”

As ações começaram com apoio do Ministério da Saúde mas hoje dependem da iniciativa privada. A ONG já impactou diretamente pelo menos 200 usuários, com seu material de prevenção chegando a quase duas mil pessoas. Mas segundo o agente Pedro Pracchia, 26, seu real impacto não pode ser medido em números.

"Pessoas usam drogas. Se as informações forem divulgadas da forma certa, podemos diminuir o número de usuários que acabam com a vida por causa do abuso", explica.

Sem julgar ou pressionar o fim do uso, os agentes estabelecem um vínculo que beira a amizade, impedindo que usuários necessitem de atendimento médico e acabem com ainda mais substâncias tóxicas no corpo.

"Atendemos fora do posto médico. Assim evitamos medicação desnecessária e podemos ajudar apenas conversando e dando atenção", finaliza Angélica.

Kits de prevenção
Além de material didático voltado para cada tipo de droga, o Respire também distribui kits gratuitos de prevenção às DSTs. São o Kit Sniff (canudo descartável para usuários de cocaina) e o kit de drogas injetáveis, com agulhas, seringas e bandagens.

Vai lá: http://centroedelei.blogspot.com.br

matérias relacionadas