por Bianka Vieira

Edição em português traz ao Brasil, pela primeira vez, os traços de 1833 de Rodolphe Töpffer

Quando recebeu uma caixa de papelão com alguns livros pertencentes ao avô, André Caramuru Aubert deu pouca importância para o conteúdo que havia ali dentro. Anos depois, bem ao acaso, Caramuru descobriu que tinha herdado nada mais, nada menos, do que a primeira edição (original!) da primeira história em quadrinhos do mundo. “Um dia, lendo alguma matéria num jornal, vi uma citação ao ‘inventor’ das histórias em quadrinhos — e não apenas percursor —, o suiço Rodolphe Töpffer. No ato, tive um estalo. ‘Mas não é este o autor dos álbuns que meu pai me trouxe?’”, conta. O achado, grandioso demais para continuar guardado em sua estante, rendeu uma edição em português que traz, pela primeira vez, os traços do artista e escritor Rodolphe Töpffer ao Brasil.

A história de Monsieur Jabot, publicada por Töpffer na Genebra (Suiça) de 1833, retrata as frustradas tentativas de Jabot de infiltrar a aristocracia francesa. Ambientadas em um baile da high society, as desventuras do personagem são das mais variadas: desde levar um tombo notório durante uma dança de gala à tomar óleo de vela por achar que seja água. “Penso que seja inevitável que parte da graça tenha ficado datada, mas o essencial permanece incrivelmente atual: a leveza e a agilidade do traço, a irreverência das histórias, as situações ridículas vividas pelos personagens”, diz Caramuru, organizador do livro, historiador e colunista da Trip.

Em suas 72 páginas, a publicação da SESI-SP Editora traz os desenhos e textos originais acompanhados por uma tradução na língua portuguesa. Para quem é fã de quadrinhos, a história de Monsieur Jabot é quase que leitura obrigatória.

Vai lá: Monsieur Jabot (R. Töpffer) | SESI-SP Editora | R$ 48 | Lançamento em 30 de março, das 19 às 22h, na Livraria da Vila (Rua Fradique Coutinho, n° 915) — Pinheiros, São Paulo

LEIA TAMBÉM: Todos os textos de André Caramuru Aubert para a Trip

matérias relacionadas