por Redação

Que livro, quadrinho, filme ou série de TV você quer ver este ano? Oito convidados da Trip respondem

Heitor Dhalia, cineasta, indica:

Blade Runner 2049, filme de Dennis Villeneuve

“Quero ver a continuação de Blade Runner por vários motivos. O primeiro deles é que Blade Runner é um clássico absoluto da ficção científica. E ver como vão atualizá-lo gera curiosidade em todo mundo. O segundo é o diretor, o canadense Dennis Villeneuve, de Os suspeitos, Sicário e do recente A chegada. A combinação de uma grande premissa com um grande diretor costuma dar muito certo.” 


 

Joselia Aguiar, curadora da Flip, indica:

O lugar mais sombrio, livro de Milton Hatoum

“É o romance que o escritor amazonense prepara há dez anos. Autor de obra sólida, Hatoum é conhecido por demorar longos intervalos para publicar, dado seu rigor. A obra tem dois volumes. O primeiro, situado entre Brasília e São Paulo, aborda a ditadura militar na perspectiva de um grupo de amigos. O segundo, em Paris e Barcelona, é narrado por uma mulher e gira em torno de um amor dividido e o exílio.”

LEIA TAMBÉM: Joselia Aguiar, a curadora da Flip 2017, indica seus livros favoritos


 Fernando Meirelles, cineasta, indica:

Vazante, filme de Daniela Thomas

“Não por acaso foi selecionado para a mostra Panorama, do Festival de Berlim. O filme se passa numa fazenda de Minas Gerais no século 19. A reconstituição de época é de uma beleza que dói. Até os escravos são atores vindos do Mali, para não parecerem com os mulatos brasileiros de hoje.”

LEIA TAMBÉM: Fernando Meirelles em nossas Páginas Negras


 

Daniel Galera, escritor, indica:

Noite dentro da noite, livro de Joca Reiners Terron, e The leftovers, série de TV de Damon Lindelof e Tom Perrota para a HBO

“A prosa de Terron é uma das minhas favoritas. Pelo que sei, o romance cruzará histórias familiares no centro-oeste do Brasil com a experimentação formal e a fabulação destemida que marcam o estilo do autor. Na televisão, tenho grandes expectativas para a terceira temporada de The leftovers. Nas duas primeiras, a premissa misteriosa e as tramas quase delirantes se resolveram com emoção e coesão de sobra.”


 

Antonia Pellegrino, escritora, indica

No intenso agora, filme de João Moreira Salles

“Dez anos depois do melancólico e incandescente Santiago, João Moreira Salles retorna ao cinema com um documentário todo construído com imagens de arquivo, cuja questão é: o que acontece depois que a paixão termina?”


 

Gabriel Bá, quadrinista, indica:

Mensur, HQ de Rafael Coutinho

“É a nova narrativa do Rafael Coutinho, que não mostrava algo desta magnitude desde Cachalote, lançada com o Daniel Galera em 2010. Nestes anos todos, ele produziu três capítulos de O beijo adolescente e agiu nos bastidores de inúmeras manifestações no universo do quadrinho nacional, mas o que eu queria mesmo ver era o Rafa botando pra quebrar com seu desenho ousado e suas histórias maduras e complexas. É um dos grandes nomes de sua geração e Mensur só vai reforçar isso.”


 

Thais Gualberto, quadrinista, indica:

Doctor Who, série de Sydney Newman para a BBC, e Mulher Maravilha, filme de Patty Jenkins

“2017 promete muitas produções na área do audiovisual, como Doctor Who, que passou por um hiato em 2016. Mas o lançamento mais esperado é o filme da Mulher Maravilha. Ela é, sem dúvida, a maior representante das heroínas nos quadrinhos.”


Clarice Falcão, cantora e atriz, indica

Líquido, livro de Tibério Azul

“Sempre que escuto uma música do Tibério Azul, parece que estou lendo uma poesia. Não porque as palavras sejam rebuscadas, mas porque cada palavra é muitas palavras, às vezes frases inteiras, às vezes um lugar específico, às vezes um dia da semana. Este ano Tibério lança um livro de poesias e tenho um pressentimento de que, ao ler, vai parecer uma música.”

play

LEIA TAMBÉM: Quantas Clarices Falcão você está vendo aqui?

matérias relacionadas