por Redação

”Fotografamos no domingo de Páscoa. Toda a família estava almoçando no jardim e eu, nua, na sala”

“Uma vez, um dos meus instrutores de yoga me disse que antes de nascermos o nosso espírito sussurra o nome que escolheu ao ouvido de nossos pais”, responde, orgulhosa, a Trip Girl Krysna Nóbrega, quando questionada sobre a origem do seu nome. A paraibana de João Pessoa conta que seus pais, hippies na época, foram buscar inspiração no oriente. Krishna, na grafia original, é a personificação da divindade no hinduísmo, o protagonista do Bhagavad Gita. 

“Toda palavra contém uma energia. Passamos nossas vidas inteiras ouvindo pessoas nos chamando por nossos nomes. O nome molda nossas personalidades”. E Krysna define a si própria como uma mulher de personalidade forte. “Sou escorpião com escorpião, intensa”, provoca.

Designer e ilustradora talentosa, atua na área desde desde os 17 anos.  Ama fazer ilustração, cartazes de shows e eventos, mas está decepcionada com a carreira. O briefing dos clientes já não lhe interessa mais. Krysna está em busca de um trabalho onde enxergue mais sentido para si mesma.

O próximo passo, voltar a estudar e prestar vestibular em psicologia. "Pretendo me dedicar à massoterapia, mais especificamente à massagem ayurvédica”, conta a moça que, assim como os pais, agora busca influência no oriente. “Acho muito doido quando as pessoas dizem 'mas você vai largar o design?!’. Daí eu respondo: mas eu só tenho 23 anos!”

As fotos foram feitas na casa de um casal de amigos que são donos de uma loja de artigos indianos. A decoração não podia ser mais propícia. Sobre o ensaio, Krysna conta que descobriu se sentir muito a vontade com sua nudez. "Fotografamos no domingo de Páscoa. Toda a família estava almoçando no jardim e eu, nua, na sala.”

Não é porque o futuro lhe parece incerto, que Krysna se deixa assustar. “Não faço planos para não gerar ansiedade, mas tenho uma certeza: quero estar viajando pra caralho!”.

matérias relacionadas