por Bianka Vieira

Em 2015, o fotógrafo Fernando Schlaepfer prometeu postar, durante um ano, uma foto de nu por dia. Agora, ele quer transformar o resultado em livro

Existe pagador pra todo tipo de promessa: tem quem promete parar de beber, poupar mais dinheiro, ir até Aparecida do Norte de joelhos, e tem Fernando Schlaepfer, que prometeu passar um ano inteiro tirando foto de gente pelada — e cumpriu. Ao cabo de 365 dias, as imagens capturadas por ele ajudaram a compor o #365nus, projeto que explora diferentes corpos, cenários e luzes. "Essa jornada fotográfica me proporcionou uma imersão nas questões que envolvem o nu e me transformou”, diz o carioca e fundador do coletivo I Hate Flash

A transformação, ele diz, veio da experiência de despir amigos e pessoas próximas, mas também da troca de ideias e vontades compartilhadas durante a produção das fotos. “Apesar de ser algo que partiu de uma convicção pessoal, o #365 explorou a relação de cada pessoa envolvida com a sua própria nudez", conta. "Nenhum registro foi resumido em dirigir o corpo de um modelo e foda-se".

A relação desnudada de Fernando com corpos alheios é antiga. Por influência do avô, ex-vice-presidente da Associação Carioca de Naturismo (ACN), ele já frequentava ambientes naturistas numa boa, ainda na adolescência. "A minha relação com o corpo nu é, sem dúvidas, um reflexo desse background", conta. 

Por familiaridade e por viver em tempos de nudes e selfies after sex, Fernando acha estranho que a nudez ainda possa carregar tantos tabus. Para ele, o desconforto das pessoas com a própria imagem reflete os inalcançáveis padrões de beleza difundidos na nossa sociedade. “Os padrões são irreais. Nem a pessoa mais 'padrão' está no padrão", afirma.

LEIA TAMBÉM: Toda Nudez Será Cá Instigada

É por essas e outras que Fernando se empenha pela desmistificação da nudez. “Não deveríamos ter que nos esconder. Quando as pessoas pensam na figura de um transsexual, por exemplo, elas imaginam mil coisas”, diz ao citar o caso de Joana Couto, uma amiga trans que foi clicada para o projeto. "Foi uma escolha dela se assumir mulher e não ser operada. A partir do momento em que isso é mostrado, é um passo para a liberdade."

É a liberdade de exibir o corpo com orgulho que dá o tom aos ensaios do #365nus. Foi assim com a atriz Polly Marinho, com maquiador Artur Figueiredo, com a designer de acessórios Fernanda Guimarães, com os irmãos gêmeos João e Paulo (retratados pela primeira vez na vida juntos e nus), com o stylist Felipe Veloso e as blogueiras MariMoon e Giovanna Ferrarezi — apenas alguns dos personagens de Fernando. 

LEIA TAMBÉM: As fotografias sensuais de Mayara Rios

Agora, Fernando pretende transformar o #365nus em livro e exposição. "É outra parada você ver tudo impresso. Mesmo sabendo que o caminho do mundo é a internet e não o impresso, dá um tesão ter o material ali na sua mão". Para fazer o plano acontecer, ele lançou uma campanha em um crowdfunding, onde arrecadou mais de 80 mil reais em três meses. 

Vai lá: 365nus.com

Créditos

Foto principal: Fernando Schlaepfer

matérias relacionadas