por Alexandra Dinter
Trip #259

Como as pessoas reinventam as bikes no projeto do italiano Gianluca Gimini

Tem algo errado aqui. Quando as pessoas observam essas bicicletas, elas sacodem a cabeça, surpresas. Esses erros de engenharia, que nunca seriam realmente construídos, são na verdade um projeto artístico chamado Velocipedia. O designer italiano Gianluca Gimini começou o projeto em 2009, em Bologna, pedindo para amigos e desconhecidos desenharem uma bicicleta usando apenas a memória como guia. Depois, transformou os resultados mais obscuros em modelos 3-D. "Eu descobri logo que a maioria das pessoas, quando confrontadas com esse exercício estranho, acham muito difícil se lembrar de como uma bicicleta é verdadeiramente montada", conta Gianluca. "Alguns chegaram perto, alguns até fizeram perfeito, mas a maioria desenhou algo que tinha muito pouco a ver com uma bicicleta normal."

LEIA TAMBÉM: O arquiteto e urbanista Jaime Lerner fala ao Trip FM sobre seu ideal de humanizar os grandes centros urbanos

Veja as bicicletas recriadas em modelos 3-D

Psicólogos utilizam testes semelhantes para mostrar como o nosso cérebro nos leva a acreditar que conhecemos algo, quando na verdade a gente não conhece. O resultado foi esse: 75% das pessoas, com idade entre 3 e 88 anos, desenharam bicicletas com o guidão do lado contrário, ou seja, apenas uma em cada quatro desenharam do lado correto. Enquanto as mulheres tiveram mais problemas para desenhar a corrente, os homens que estavam incertos sobre a construção acabaram projetando o quadro de forma muito mais complexa do que ele realmente é. Para Gianluca, que é professor de design de produto na Universidade Ferrera, a coleção de esboços é um tesouro mesmo que os desenhos criados coletivamente tenham defeitos técnicos. "Nem em cem anos um único designer conseguiria inventar tantas novas bicicletas. Esse é o motivo de eu estar tão empolgado para ver essa coleção", ele diz.

matérias relacionadas