por Pedro Só
Trip #261

Ela é baiana, bailarina e atriz. Escorpiana, espevitada e mãe. Camila posou ao lado do marido, Marcelo Faria, e mostrou que pelado a dois é mais gostoso

Ela chegou para fazer o teste para A marca do Zorro e deixou o produtor executivo da peça de queixo caído. "Lembro nitidamente. Muito sensual. Era um teste muito físico, e ela, pô... bailarina, ex-atleta de ginástica rítmica... arrasou. Baiana, né? Fiquei encantado", conta Marcelo Faria, sete anos e meio depois da impressão inicial. Na época desse encontro, Camila Lucciola tinha um namorado. Mas, 14 meses depois, em julho de 2010, estava no altar da igreja de São Conrado, no Rio de Janeiro, casando com Marcelo. "Inicialmente, a gente não teve nada. Mas o meu namoro não estava bom, o Marcelo começou a dar umas investidas, e terminei", conta a atriz, 32 anos, pouco depois de posar para a Trip em um apartamento em Copacabana.

Camila foi da seleção brasileira de ginástica rítmica e saiu de Salvador aos 20 anos, decidida a ser atriz. Deixou para trás o curso de dança contemporânea na Universidade Federal da Bahia para mergulhar na formação teatral da escola carioca Casa das Artes de Laranjeiras. "Eu vim para morar na cidade. Se não desse certo como atriz, iria ser qualquer coisa, mas iria ser aqui no Rio", crava.

LEIA TAMBÉM: Maria Flor, nua nas ruas da Lapa

Treze anos mais jovem que o noivo, ela pisou no altar grávida de sete semanas. "Foi muito rápido. A gente super se apaixonou! Começamos a namorar em outubro e decidimos nos casar em abril. E o Marcelo queria muito ter filho. Então ele me convenceu", ela ri. "Não me arrependo, claro, mas foi muito cedo." A pequena Felipa tem 5 anos e, em novembro, foi uma das atrações na fila de cumprimentos para a mãe na estreia de Por isso fui embora, em cartaz no Teatro Clara Nunes, no Rio. "Faço uma escritora superlivre, com padrões diferentes de relacionamento. É uma mulher solteira que pega todo mundo, mas que se apaixona. E se vê em papéis em que não se reconhece."O texto é da paulistana Juliana Frank, autora do romance Meu coração de pedra–pomes e roteirista da adaptação para cinema de Pornopopéia, de Reinaldo Moraes. Mas a trama de Por isso fui embora foi desenvolvida há quatro anos, a partir de conversas e intensa convivência com a atriz baiana. Em 2012, Camila passou por experiências muito difíceis: depressão ("veio um ano depois do nascimento da Felipa, mas foi diagnosticada como depressão pós-parto") e, pouquíssimo tempo depois, separação. "Marcelo saiu de casa e a gente foi tentar entender o que estava acontecendo".  

Ficaram oito meses separados e, em dezembro, voltaram. "Eu tinha uma fantasia e, logo no segundo ano de casamento, tomei essa porrada: 'Fica esperta que não é assim, não tem essa coisa de faz de conta'. Foi um 'se situa' importante. Não sei se a separação salvou nosso casamento, porque não sei o que me aguarda ali na esquina, mas me fez entender que a vida é assim, que ninguém pertence a ninguém", elabora a atriz.

LEIA TAMBÉM: Nicole Wolfensberger, a Trip Girl que borboleteia 

A história que Camila vive no palco traz algumas chaves para o relacionamento na vida real. "Esses modelos não se sustentam mais. Você estar casada com uma pessoa e achar que não vai sentir desejo por outras? Não tem como eu achar que, casada com o Marcelo, não vou sentir mais tesão por homem nenhum. A questão é como vamos administrar isso", diz Camila, que repete a expressão "desencontro de quereres" algumas vezes ao longo da entrevista. "A gente se encontra e se desencontra o tempo inteiro. O importante é os dois não quererem se separar ao mesmo tempo. Uma hora, um quer separar e o outro fala 'Eu tô aqui, espera'. Isso faz um casal ficar junto."

"Sou muuuito escorpiana! Escorpiana e baiana: tá bom, né?", descreve-se, antes de soltar uma risada gostosa. Com Marcelo, a tensão era previsível em mais de um aspecto. "Quando vem com muito punch, já viu! Ele é de escorpião também! Nosso encontro foi uma bomba." Mas depois do choque inicial, o casal se equilibrou. "Eu sou muito tempestade, e ele é muito calmaria. Ele não tem essa urgência de fazer tudo. É mais família, talvez também por ter mais idade. Gosta de ficar em casa, e eu quero viver tudo que não vivi. Mas me dá essa liberdade."

LEIA TAMBÉM: Biblioteca Trip Girl

Marcelo é do tipo que fala: "Vai gastar essa energia, vai dançar, vai sair pra ver gente". Camila conta isso e lembra da mensagem que mandou ao marido no dia anterior: "Cara, você é tão legal! Como é que você me aguenta?". "Ele tem essa calma de viver que às vezes me irrita profundamente. Mas quase sempre me equilibra. É o melhor pai que minha filha poderia ter, é capaz de levantar da cama e ir cozinhar algo quando eu chego tarde." Nesse momento da conversa, Marcelo passa pela sala e brinca: "Para de mentir! Tá aí dando entrevista quase de peito de fora...". E os dois caem na risada, com a mesma cumplicidade que as fotos de Jorge Bispo tinham acabado de captar.

Créditos

Foto principal: Jorge Bispo

matérias relacionadas