por Marcos Candido
Trip #263

Por que esses holandeses são bancados por uma TV pública para se drogar

A cada semana, três jovens loiros postam no YouTube um vídeo em que aparecem experimentando drogas. Tudo é feito em nome da educação e quem manda é a audiência. Seguindo a voz do povo, o trio já chapou em frente às câmeras com haxixe, LSD, ecstasy e maconha. Seria apenas mais um sábado comum na vida de muitos jovens, mas há uma diferença essencial: o Drugslab é produzido por uma TV pública da Holanda, a BNN.

play

"Preferimos pessoas reais contando histórias do que atores lendo roteiros", afirma Jelle Klumpenaar, criador e produtor da série. Klumpenaar é um dos caras da mídia holandesa que aposta "na redução de danos em vez do puro combate ao uso", diz. E o empenho do produtor já rende frutos. Em cinco meses, o Drugslab conquistou mais de 300 mil seguidores e quase 9 milhões de visualizações em apenas 18 vídeos.

“Educação uma boa forma de evitar acidentes”
Jelle Klumpenaar

No episódio mais popular, o apresentador Rens Polman, de 25 anos, demonstra o efeito do ecstasy à apresentadora Nellie Benner, de 30 anos. Os batimentos cardíacos e a temperatura corporal são medidos antes e depois do uso e efeitos colaterais - formas seguras de consumir para evitar misturas fatais também são apresentadas ao telespectador. O efeito "positivo" também é demonstrado na prática: Rens se torna uma pessoa muito mais amável e suscetível a dançar durante boas horas, embora a boca fique bastante seca, descreve.

LEIA TAMBÉM: A guerra e a paz de Black Alien após as drogas

A Holanda autoriza o uso de maconha e cogumelos alucinógenos em cafés especializados há quase 40 anos. Cocaína e morfina, ainda consideradas "pesadas" pelo governo, são apreendidas. Para não estimular o uso indiscriminado, a BNN adota uma política de esclarecimento. A emissora também produz o programa Spuiten en Slikke (injeta e engole, em holandês), que investiga, para o bem e para o mal, a vida de usuários de drogas. O número de mortes causadas por drogas nos Países Baixos é de 10,8 a cada 1 milhão de pessoas – bem abaixo, por exemplo, da Alemanha (18,6/1 milhão) e do Reino Unido (19,2/1 milhão).

play

Canais no YouTube com conteúdos educativos sobre uso de drogas foram fechados no Brasil nos últimos dois anos, geralmente sob acusação de apologia e tráfico. Em um dos casos, um grupo de policiais civis do Distrito Federal prendeu o ativista Sérgio Delvair Costa e usou o canal THC Procê para ameaçar os seguidores do youtuber. "Nós vamos bater na porta de vocês", repreendeu o agente Ricardo Machado. No país, o número de mortes causadas diretamente pelo uso de drogas psicoativas é subestimado, segundo pesquisadores do tema. Um relatório do Ministério da Saúde afirma que em 2007 houve 4,4 mortes relacionadas ao uso de drogas a cada 100 mil pessoas, o que representaria 44 mortes a cada 1 milhão, ou quatro vezes mais que na Holanda. O número pode ser bem maior.

LEIA TAMBÉM: Como eu conheci Kurt Cobain, por João Gordo

Créditos

Foto principal: Divulgação

matérias relacionadas