por Bianka Vieira

Exposição resgata desenhos "esquecidos" de artistas latino-americanos como Antonio Bandeira, Burle Marx, Emiliano Di Cavalcanti e Iberê Camargo

Quem vê um quadro em um museu, uma escultura numa praça da cidade ou uma construção arquitetônica famosa dificilmente se presta ao exercício de pensar na etapa que, apesar de inicial, é comum a quase todas essas obras: o desenho. Foi pensando nisso que o fotógrafo e produtor gráfico Marcelo Pallotta decidiu fazer diferente e inaugurar a Desenho moderno: as formas da ideia sobre o branco do papel, uma exposição inteiramente dedicada a achados do mundo da arte que, pela simplicidade de seus traços, muitas vezes passam despercebidos.

“O desenho é visto como um trabalho menor por parte de alguns galeristas e colecionadores, quando na verdade ele tem um lado muito mais interessante por ser o início de tudo”, conta Marcelo. A exposição, que estreia nesta terça-feira (14) e vai até 14 de abril, traz mais de cinquenta desenhos assinados por artistas renomados, como Antonio Bandeira, Burle Marx, Hilde Weber, Emiliano Di Cavalcanti e Iberê Camargo. “Tínhamos duas grandes coleções de desenhos, do Saul Steinberg e do J. Carlos. Foi a partir delas que começamos a garimpar trabalhos de outros nomes importantes para também constarem nesse trabalho.”

LEIA TAMBÉM: Nem plata, nem plomo — a arte popular nas ruas da Colômbia

Dentre todos esses nomes, Marcelo conta que um de seus achados mais queridos é de Ziraldo. “Gosto muito do desenho do Ziraldo porque, apesar dele ser muito mais reconhecido como um cartunista do que um artista, ele tem um traço muito poderoso e autoral. Eu ainda não tinha nenhum desenho dele e por acaso acabei conseguindo um que compõe muito bem na coleção.”

LEIA TAMBÉM: As ilustrações de Abiuro — fotografias antigas, corpos humanos e botânica

Marcelo abriu a Galeria Mapa em dezembro de 2016 – é a primeira vez que ele se aventura no mundo das artes como um negócio próprio. “Foi um caminho natural. Como sou colecionador há algum tempo, minha coleção começou a tomar um tamanho que me fez decidir por investir profissionalmente em sua administração.”

Desenho moderno é a primeira exposição da Mapa, mas a galeria já tem outras mostras programadas para os próximos meses, todas focadas no modernismo latino-americano. “No segundo semestre, teremos uma exposição com fotografias do José Oiticica, que é o pai do [Hélio] Oiticica, e do Loio-Pérsio, um artista plástico abstrato mais informal dos anos 50, 60 que tem um trabalho muito bacana também.”

Vai lá: Desenho moderno: as formas da ideia sobre o branco do papel.

Abertura da exposição em 14 de abril, a partir das 17h.

Rua Costa, 31, Consolação, São Paulo.

Créditos

Foto principal: Desenho de Hilde Weber — Divulgação / Galeria Mapa

matérias relacionadas