por Luiz Filipe Tavares

Espanhol cria ilustrações modernas para nova edição do Manifesto Comunista

Nesta quarta, dia 7, comemora-se o 95º aniversário da Revolução Bolchevique de 1917, a primeira revolta armada a instituir ideias comunistas em um governo nacional no século XX. Liderada por Vladimir Lenin, a revolução tomou o Palácio de Inverno de Petrogrado e começou um longo ciclo de batalhas civis que só iria acabar em 1921, com a vitória dos Bolcheviques e a instalação do governo socialista na União Soviética em dezembro de 1922.

No mês em que a maior revolução popular de todo o século XX eclodiu, uma nova edição espanhola do Manifesto Comunista, a bíblia da luta bolchevique na década de 10, chega às livrarias do país com ilustrações brilhantes do também espanhol Fernando Vicente Sanchez. Publicada pela Nórdica Libros, a nova tradução do livro de Karl Marx e Friederich Engels saiu no final de outubro com 136 páginas em duas versões: para leitores digitais ou em brochura.

O Manifesto foi publicado em Londres no ano de 1848. Usando frases curtas e citáveis, os dois autores alemães estabeleceram a teoria para o Marxismo, analisando as profundas mudanças sociais causadas na Europa pela primeira revolução industrial e introduzindo conceitos centrais para o estudo de economia moderna como a luta de classes, mais-valia, materialismo histórico e questões ideológicas pertinentes mais de 160 anos após sua publicação.

Na galeria você vê as ilustrações de Vicente Sanchez para a nova edição espanhola do Manifesto Comunista (à venda na Amazon).

Livro: El manifiesto comunista (O Manifesto Comunista)
Autores: Karl Marx e Friederich Engels
Ilustrações: Fernando Vicente Sanchez
136 Páginas
Preço: R$ 8 (versão digital)
Editora: Nórdica Libros
Link de venda: www.amazon.com

matérias relacionadas