por Autumn Sonnichsen
Trip #262

Foi uma semana de mulherzinha: levei croissants e champanhe pra ela na cama, fomos ao balé e comemos escargot. Erica estava radiante

O sonho da Erica era ir a Paris. Ela nunca tinha ido para a França, apesar de ser fã de Truffaut e de tomar champanhe à tarde. Ela sempre me disse: “A gente vai fazer meu ensaio de 40 anos em Paris”.

Paris sempre vai ser uma cidade especial para mim. Fui morar lá aos 18 anos, quando estudava história da arte e estava (ainda estou) apaixonada pelas ruelas, pelos quadros do Ingres e do Courbet e pelas mulheres que usam vestidos esvoaçantes na primavera. Queria aquela vida de cafés e de emoções profundas. Às vezes, meu coração tropical ainda sente saudades da Cidade Luz. Sempre que posso volto para lá, para trabalhar ou para amar mesmo. E agora fui com a Erica, a mulher da minha vida, para apresentar essa cidade tão amada por tanta gente, e para comemorar a idade e o corpo dela. É maravilhoso ter um corpo para comemorar aos 40 anos – e é verdade que ela também tem uma genética abençoada.

LEIA TAMBÉM: "O que faz bem não precisa vir de longe", por Autumn Sonnichsen

Daí ela fez 40, e resolveu ir. Fui lá encontrá-la no auge do verão francês. Foi uma daquelas semanas de mulherzinha: levei croissants e champanhe para ela na cama, fomos ao balé, a uma loja de calcinhas caras e tirei fotos dela no vestiário, fomos tomar café no Flore e comer escargot no Charlot. Ela acordou linda todos os dias, colocou um look diferente todos os dias, estava radiante todos os dias.

Ontem ela me mandou o seguinte recado: “Nunca me senti tão amada e tão linda. Sinto o poder nas minhas mãos, no meu corpo, na minha mente. Sinto que sei quem eu sou. Sei o meu propósito e não tenho medo como antes. Agora me sinto uma mulher inteira. Sou um pedaço que importa de um todo. O mundo é meu, o mundo é nosso”.

LEIA TAMBÉM: Todos os textos de Autumn Sonnichsen

Créditos

Imagem principal: Autumn Sonnichsen

matérias relacionadas