por Redação

Defensora das causas feminista e LGTB, a apresentadora conversou com o Trip FM sobre como enfrenta à onda de ódio nas redes sociais

Desde 2010 na televisão, Titi Müller viu seu nome ir parar na mira de machistas em 2017, após denunciar ao vivo as letras misóginas do DJ Borgore, durante a transmissão do Lollapalooza no canal Multishow.

Defensora das causas feminista e LGTB, a apresentadora conversou com o Trip FM sobre como enfrenta à onda de ódio nas redes sociais e ainda acredita num futuro de menos embate e mais igualdade: "as nossas filhas estão vindo com os dois pés na porta, mas os filhos estão vindo desconstruídos também".

ASSISTA:

play

matérias relacionadas