por Camila Eiroa

Djamila Ribeiro lista sete mulheres incríveis para seguir: ”São mulheres de ação que nos ajudam a repensar a sociedade”

Para a filósofa Djamila Ribeiro, uma das homenageadas do Trip Transformadores 2017,  é muito importante que a gente aprenda a se abrir para outros horizontes. Dessa maneira, fica possível reconfigurar a visão individual de mundo através de outras realidades.

"Muitas vezes, condicionados que estamos, aprendemos a só legitimar uma voz, uma história. Desestabilizar verdades estabelecidas é um caminho importante para a construção de coexistências", acredita.

Por isso, Djamila indica ao Trip Transformadores sete mulheres para acompanhar. São "mulheres negras, sujeitos de sua história e mulheres de ação que nos ajudam a repensar a sociedade".

Elizandra Souza – ela é escritora, poeta, idealizadora da empresa Mjiba em Ação e editora da Agenda Cultural da Periferia. Elizandra vem revolucionando o mundo das letras com suas obras e fazendo história.

Vai láfacebook.com/elizandramjiba

Carla Akotirene Santos – é doutoranda em estudos de gênero, mulheres e feminismos, na Universidade Federal da Bahia. Carla é assistente social em Salvador e em sua pesquisa de mestrado abordou a questão das mulheres no sistema prisional. É de uma riqueza de ensinamentos sem igual.

Vai lá: facebook.com/carlaakotirene

Sueli Carneiro – uma das maiores intelectuais brasileiras, Sueli é doutora em filosofia da educação pela Universidade de São Paulo e fundadora do Geledés – Instituto da Mulher Negra de São Paulo. Há décadas vêm atuando para que mulheres negras sejam consideradas sujeitos. Vale muito seguir a página do Geledés nas redes sociais, que traz conteúdos de muita qualidade sobre direitos humanos.

Vai lá: geledes.org.br

Tracie e Tasha Okereke – são duas irmãs gêmeas incríveis e talentosas. Estilistas, criaram o coletivo de MPIF – Mulher Preta Independe de Favela. Em seu primeiro desfile, levaram criações com inspirações nos orixás, mostrando a moda sob um outro olhar, com roupas de brechós e costuradas por elas mesmas.

Vai lá: facebook.com/EXPENSIVESHITT

Joice Berth – arquiteta, mãe de quatro filhos, assessora parlamentar, Joice tem muito a dizer. Em sua coluna no portal Justificando, nos brinda com textos críticos e potentes sobre feminismo negro, arte e arquitetura. É um dos grandes nomes do Brasil contemporâneo.

Vai lá: justificando.cartacapital.com.br/author/joice-berth

Maria Clara Araújo – é escritora, graduanda em pedagogia na Universidade Federal de Pernambuco. Criadora do projeto Pedagogia da Travestilidade, pensa ações para a construção de um Transfeminismo Negro.

Vai lá: facebook.com/mariaclaraaraujodospassos

Catálogo intelectuais negras visíveis – Organizado pela professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Giovana Xavier, essa obra tem a finalidade de conferir visibilidade a mulheres negras de diferentes regiões, idades e áreas do saber. Lançado na Flip deste ano com muito sucesso, o catálogo pode ser encontrado gratuitamente para download no site.

Vai lá:  intelectuaisnegras.com

matérias relacionadas