por Redação
Tpm #144

No ar há 4 meses, a revista on-line Capitolina fala de igual pra igual com as adolescentes

Três amigas insatisfeitas com o que as revistas para adolescentes oferecem resolvem criar uma revista on-line que não transborde regras e superficialidades; dão o nome de Capitolina, fazendo referência à personagem de Machado de Assis, em Dom Casmurro. O resultado poderia ser tosco e de periodicidade flutuante, mas não. De forma dedicada e séria Sofia Soter, Clara Browne e Lorena Piñeiro juntaram 70 colaboradoras divididas em sete editorias (como beleza, moda, educação e tecnologia) e de forma sistemática alimentam desde abril uma revista antenada e com os 140 pés no chão. “É tudo muito organizado. Cada área tem suas colaboradoras fixas e uma coordenadora. As postagens têm dias fixos e as reuniões são todas on-line, senão vira bagunça”, conta a carioca Sofia Soter, 22 anos, estudante de relações internacionais. Por ora, a revista não gera renda, “mas a ideia é que ela se pague”, diz. Qual o sonho a ser atingido? “Somos todas megalomaníacas e sonhamos em ver a revista impressa, distribuída no país inteiro, atingindo cada vez mais gente”, diz Sofia. Como os textos são feitos pelas jovens (elas têm entre 16 e 26 anos), não há enrolação, vão direto ao ponto dos assuntos que lhe interessam, como aborto, cabelo, costura, sexo e estilo. Um dos pontos altos são as ilustrações, que têm uma editoria específica e uma coordenadora.

Vai lá: www.revistacapitolina.com.br

matérias relacionadas