por Redação

A Tpm completa 15 anos em 2016. Não tem valsa, mas tem uma seleção de 15 famosos que já tiraram a roupa para nossas lentes e compartilharam sua sensualidade, suas histórias e seus estilos de vida

Em 2016, a Tpm completa 15 anos de boa conversa com mulheres. Também faz 15 anos da seção Ensaio, na qual é a vez deles nos contarem suas histórias e mostrarem seus corpitchos.

Eles abriram suas casas, dividiram um chope ou cozinharam para nossos repórteres e fotógrafos. São sarados, gordinhos, altos, baixos, tímidos ou desinibidos. Eles têm medos, expectativas, qualidades, defeitos e projetos para o futuro. Em comum, são todos muito gatos! 

VEJA TAMBÉM: Especial 15 anos de Tpm - porque não existe assunto de mulher. Tudo é assunto de mulher!

Para aproveitar nosso "baile de debutante", selecionamos 15 famosos que já tiraram tudo para nossas lentes! Aprecie sem moderação. 

Otto

"Otto parece mesmo um homem que ama as mulheres. Um personagem nouvelle vague do sertão. Um Jean-Paul Belmondo selvagem. Em uma mesa do tradicional bar carioca Lamas, ele continua a falar das mulheres e conta que já apanhou – e muito – em momentos de fúria. "Elas batem sem dó. Tem umas que dão tapa, e outras que adoram arrancar camisa", ele ri, entre um gole de chope e outro. Otto é um homem acostumado a conviver com DR e TPM. E vê beleza nisso."
Aprecie ensaio completo em: Otto, o homem que as mulheres amam

Marcelo Melo Jr.

"Marcello Melo Jr. ainda não se acostumou a morar em apartamento. Sente falta do quintal da antiga casa e das conversas com os vizinhos, mesmo estando a poucos metros de onde vivia, na favela do Vidigal, no Rio de Janeiro. 'Outro dia entrou uma moça comigo [no prédio], e eu nem sabia que ela era minha vizinha de frente. Não acho isso normal', confessa."
Aprecie ensaio completo em: Marcello Melo Jr., do Vidigal

Reynaldo Gianecchini

"Pela primeira vez [Gianecchini] ficou à vontade tirando toda a roupa em um ensaio – da outra vez que posou para a Tpm, não tirou a cueca por nada. 'Estou numa fase de despudor. Não é fácil, mas aprendi a administrar com o tempo. Não vejo problema em ficar pelado, desde que tenha um contexto e que não me exponha mais do que eu permita.'"
Veja ensaio completo: Me destrói, Gianecchini 

Fernando Fernandes

"No dia 4 de julho, Fernando Fernandes lutou pela manhã e correu 15 quilômetros no parque do Ibirapuera. Seguindo uma dieta rígida, almoçou frango grelhado e salada e, à noite, foi jogar futebol com o pai e amigos, no clube Indiano, em São Paulo. Mas só aguentou o primeiro tempo da partida. Na volta para casa, dormiu ao volante de seu Sandero preto e bateu em uma árvore na avenida República do Líbano – a 3 quilômetros de casa. Sem cinto de segurança – como de hábito – sua coluna girou na colisão e a vértebra T12 se rompeu. “Acordei com tudo branco, no hospital São Paulo. Todo mundo me olhava assustado. Eu estava bem, parecia que não tinha acontecido nada”, lembra. Poucos dias depois, percebeu que os estímulos que mandava para as pernas não respondiam. Tinha ficado paraplégico."
Aprecie ensaio completo em: Fernando Fernandes, o destemido

Rodrigo Faro

"É provável que você já tenha encontrado o paulistano Rodrigo Faro num sábado à tarde. Mesmo que esteja só zapeando a TV, acaba dando uma parada na Record. Porque lá está ele, fazendo palhaçadas durante cinco horas, à frente do popular O Melhor do Brasil, programa de auditório com maior audiência da emissora que concorre com seis diferentes produções da Globo." 
Aprecie ensaio completo em: Faro contra o monopólio

Neymar

"Antes das fotos, Neymar troca de roupa e fica de cueca na frente de todos, tira onda da própria magreza e dos truques do maquiador para salientar o abdome. É só a lente apontar em sua direção, porém, para mostrar a que veio. Alheio aos seus 19 anos, mira a câmera com profissionalismo e, à vontade, se arma para os flashes em segundos."
Aprecie ensaio completo em: Neymar é nosso

Dado Villa-Lobos

"Dado Villa-Lobos tem ojeriza à superexposição. Quando tocava guitarra na Legião Urbana, deixava para Renato Russo a luz dos holofotes. Mesmo assim, seu rosto bonito se transformou em uma das marcas da banda. Aos 35 anos [à época], longe da fama e perto do paraíso pessoal, está low profile como nunca."
Aprecie o ensaio completo: Dado, música para seus olhos

Lázaro Ramos

"A boca carnuda de Lázaro gosta de falar sério, pelo menos para início de conversa. Defende ideias engajadas, empolga-se, conta histórias - e dá boas risadas, mostrando sem pudor o sorriso alvos, perfeitamente brilhantes. 'Dizer que racismo existe no Brasil é me repetir. Outro dia saiu uma coisa engraçada que eu falei sobre isso na Veja. Pense bem: num país onde a cozinheira do Sítio do Pica-Pau Amarelo se chama Tia Anastácia e a marca de farinha é Dona Benta, só dá para concluir que tem aí um problema sério de compreensão da coisa, não é?"

Aprecie ensaio completo em: Lázaro Ramos, o negro gato

Caio Castro

"Num sábado à tarde, Caio Castro ligou a televisão no programa Caldeirão do Huck e soube do concurso valendo duas vagas em Malhação. Caio foi um dos escolhidos entre mais de 25 mil candidatos. Virou ídolo das adolescentes e recordista de cartas da Globo. O diretor Ricardo Waddington foi quem o elegeu no tal concurso. 'Vi nele um garoto com carisma e potencial para evoluir. Fico feliz de ele ter entendido a oportunidade que teve e levado a sério. Ele tem o perfil de galã que a TV precisa na sua dramaturgia', solta."
Aprecie ensaio completo em: Caio Castro de Praia Grande à Barra da Tijuca

 Juliano Cazarré

"Juliano gosta de atenção. O corpo grande e musculoso, conquistado à base de muita natação, surf e malhação, o rosto quadrado e a barba cerrada escondem um moço sensível e emotivo. Formado em artes cênicas pela Universidade de Brasília (UnB), cidade para onde se mudou quando pequeno, o ator gaúcho é um artista de várias facetas, incluindo a de poeta. Juliano lançou, há quatro anos, Pelas janelas (ed. Dublinense), um livro de poesias com prefácio do colega Wagner Moura e referências explícitas a autores como João Cabral de Melo Neto e Jorge Luis Borges."
Aprecie ensaio completo em: Cazarré, um homem feminino 

Bruno Gagliasso

"12h Ao sinal de que a sessão de fotos vai começar, Bruno Gagliasso tira a roupa no meio da sala. Fica de cueca. 'Por que eu não tiro tudo? Ela não deixa. Por mim tiraria', diz. Ela é a atriz Giovanna Ewbank, sua mulher e parceira neste ensaio, realizado ao longo de uma tarde em São Paulo. 'Ele é muito desinibido', diz a moça, contando que, dentro de casa, os papéis se invertem: ela anda nua, ele de cueca. Ela diz que não há timidez ou vergonha na vida a dois. Tomam banho de porta aberta, se trocam um aos olhos do outro. Já se vão seis anos desde que a história começou, cinco vivendo sob o mesmo teto."
Aprecie ensaio completo em: Bruno Gagliasso tira a roupa ao lado de Giovanna Ewbank

Paulo Vilhena

"Paulinho é bom desse jeito, mas faz uma cara de bad boy de vez em quando que é de ferrar qualquer mulher desavisada. E surfa, hein, exibindo uma tatuagem linda no ombro direito. E vai na onda do diretor, do elenco, bicho intuitivo com anos de experiência, olho no olho. É uma loucura contracenar com ele."
Aprecie ensaio completo em: O que está dentro de Paulinho Vilhena

Rafael Losso

"'Tirar foto me dá medo. Ainda mais quando é para contar a minha história, e não a de um personagem', explicou. Aparentemente, o medo passou logo: muito à vontade, Rafael tirou a roupa toda e decidiu não colocar mais, até o último clique."
Aprecie ensaio completo em: Rafael Losso nuzinho

Cauã Reymond

"A boca carnuda de Cauã Reymond dá beijos estalados. No caso, nas bochechas. Ele não é do tipo que encosta o rosto. Não fosse a imagem de galã que temos dele, se nunca o tivesse visto antes, logo o rotularia: garotão da zona sul carioca. Trata-se de um tipo característico no Rio de Janeiro. Eles são lindos, têm corpos sarados, bronzeados, transpiram saúde e se vestem de maneira padronizada: calça jeans de marca boa, camiseta de malha descolada e, invariavelmente, sandálias Havaianas."
Aprecie ensaio completo em: Cauã, da zona sul

Rodrigo Hilbert

"'A paternidade vai te mudando. Foi uma pancada perceber que duas pessoinhas dependem de mim, que tenho uma família pra criar, que preciso trabalhar pra isso. Cheguei a pensar: ‘Será que vou conseguir?’”, reflete. E emenda: “Você se dá conta de que não quer mais nada para você, só para eles, virei um pai exemplar”, brinca, fixando a atenção na mulher, que leva João pelo jardim. “Eles são bem ligados a mim, mas não como com a mãe. É impressionante, eles sentem o cheiro da Fernanda de longe”, revela. Tem ciúmes? “De jeito nenhum, se estão felizes, está tudo bem. Vou ter o meu tempo, daqui a pouco vão querer surfar, eu é que vou levá-los", aposta.
Aprecie ensaio completo em: Rodrigo Hilbert de portas abertas

matérias relacionadas