Contra a Epidemiade Cesarianas

Dotada de um olhar sensível, que capta nuanças pouco percebidas, e de um enorme conhecimento científico e prático adquirido pelas muitas especializações e pelos anos acompanhando gestantes e bebês, Érica de Paula soube dar vazão às suas qualidades únicas para denunciar a desumanização dos partos no Brasil. Psicóloga, doula, educadora perinatal, acupunturista de gestantes e bebês e coordenadora de grupos de apoio a gestantes em Brasília, ela concebeu, produziu e escreveu o documentário O renascimento do parto. Lançado em 2013, o longa-metragem gerou um debate nacional ao mostrar a triste realidade das maternidades no Brasil, o único país no mundo em que as cirurgias cesarianas respondem pela maioria dos nascimentos de crianças. Só para comparar, na Holanda elas são 15% do total. Além de uma série de consequências biológicas e do risco para a saúde da mãe e do bebê, o filme traz uma dimensão política. Ao tirar da mãe a chance de fazer a única coisa que só ela pode fazer, a cesariana desempodera a mulher. Para Érica, um parto que respeita o protagonismo feminino pode ser a experiência mais poderosa da vida de uma mulher.

Patrocínio

Copatrocínio

Apoio

Comunicação